22°
Máx
16°
Min

Para bispo de Campos, Lava Jato é 'um pouco seletiva'

O bispo de Campos (RJ), Roberto Francisco Paz, porta-voz da solenidade de abertura da 54ª Assembleia Geral da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), em Aparecida, no interior paulista, disse nesta quarta-feira, 6, que a Operação Lava Jato, foi "um pouco seletiva" por ter colocado o PT no centro da investigações. "Todos os partidos, numa visão mais fática, praticaram desvios. Cabe ao Judiciário apurar isso."

O bispo fez o comentário após a reportagem ter citado o teor de uma carta aberta aos bispos, divulgada pelo Movimento Legislação e Vida, que tem ligações com setores da igreja. O documento cobra uma posição "clara e firme em relação aos graves danos que o PT causou à Igreja Católica e a nação brasileira nestas últimas décadas, especialmente nos últimos treze anos à frente do governo".

De acordo com d. Roberto, a CNBB não é partidária. "A igreja tem um pensamento social, pelo reino dos pobres. Existem partidos que possam ter encarnado mais a CNBB nessas propostas, mas não é intenção da CNBB dar apoio mais estratégico a um partido. Quando ela se refere (a partidos), se refere a todos. A sociedade brasileira se ressente de partidos que são meras siglas e partidos de aluguel."

A CNBB deve se posicionar oficialmente sobre a situação política do País até o final da assembleia, dia 15. Nesta quarta-feira, foi formada uma comissão que vai elaborar o texto sobre o momento nacional.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.