27°
Máx
13°
Min

Patrimônio de Crivella encolhe entre as eleições de 2014 e 2016

O patrimônio do candidato do PRB a prefeitura do Rio, Marcelo Crivella, encolheu este ano em relação a quando ele concorreu ao governo do Estado em 2014. Crivella, senador licenciado, declarou para esta eleição municipal bens no valor de R$ 701.651,81. Dois anos atrás, quando ele foi derrotado por Pezão (PMDB) na disputa ao governo estadual, ele tinha R$ 734.509,78 - sem contar a inflação do período.

Na atual disputa, o senador licenciado arrolou apenas dois bens de sua propriedade: um apartamento, no valor de R$ 634.795,00 e ainda uma aplicação de renda fixa, de R$ 66.856,81. Na disputa de 2014, ele listou quatro bens: o apartamento, com o mesmo valor atual; uma aplicação em renda fixa no valor de R$ 29,5 mil, um depósito em conta corrente, de R$ 214,78 e um automóvel Jetta, ano 2013, avaliado em R$ 70 mil.

Candidato a prefeito do Rio de Janeiro pela terceira vez, Crivella afirmou no mês passado à reportagem que apostava numa campanha "franciscana" este ano, diante dos efeitos da Operação Lava Jato e do fim do financiamento empresarial dos candidatos. Ele disse que contava para esta eleição com recursos do fundo partidário do PRB nacional para fazer campanha, que, segundo ele, será dividido principalmente com o também candidato à prefeitura paulistana, o deputado federal pelo partido Celso Russomanno (SP).

Na ocasião, Crivella afirmou que sempre fez campanhas eleitorais modestas e pretende gastar em todo o pleito deste ano entre R$ 4 milhões e R$ 6 milhões. Pelo teto de gastos divulgado pelo Tribunal Superior Eleitoral, cada candidato a prefeito do Rio pode gastar no primeiro turno até R$ 19,8 milhões e, no segundo, R$ 5,9 milhões.