23°
Máx
12°
Min

PF aponta que gestor de OS desviou R$ 584 mil de 13 hospitais no Maranhão

Relatório da Polícia Federal, na Operação Sermão dos Peixes, aponta que o funcionário público Péricles Silva Filho se beneficiou de R$ 584 mil desviados de 13 hospitais estaduais do Maranhão.

Péricles foi alvo de prisão preventiva e busca e apreensão na Operação Voadores, desdobramento da Sermão dos Peixes, deflagrada na quinta-feira, 6, que investiga desvio de cerca de R$ 36 milhões de recursos públicos federais do Fundo Nacional de Saúde destinados ao Sistema Único de Saúde no Estado.

A investigação da PF identificou que o desvio das verbas dos hospitais era realizado por meio do desconto de cheques de contas bancárias das unidades hospitalares e posterior depósito nas contas de pessoas físicas e jurídicas. Até um avião foi apreendido.

Péricles era um dos gestores da organização social Instituto Cidadania e Natureza (ICN). A ICN e a organização de sociedade civil de interesse público (OSCIP) Bem Viver - Associação Tocantina para o Desenvolvimento da Saúde - eram as responsáveis pela gestão das unidades hospitalares do Maranhão, segundo os investigadores.

"Péricles Silva Filho teria se locupletado de pelo menos R$ 584 mil sacados diretamente das contas abertas pelo ICN para a administração de cada um dos hospitais", aponta a PF.

A Justiça Federal do Maranhão mandou bloquear RS 584 mil do funcionário público e determinou que ele cumpra a prisão domiciliar "até avaliação do atual estado de saúde". No documento, a PF montou uma tabela com os valores que teriam sido desviados dos 13 hospitais e abastecido a conta de Péricles.

Valores foram desviados, segundo a PF, da UPA Anjo da Guarda, no Bairro Itaqui-Bacanga, da Maternidade Benedito Leite, do Hospital Infantil Dr Juvêncio Mattos, da UPA Cidade Operaria.

"Péricles Silva Filho, na condição de funcionário público, enquanto gestor de recursos públicos administrados pelo ICN, se utilizou da vantagem de ter a posse de tais recursos para desviá-lo em proveito próprio e de terceiros, aplicando para tanto mecanismos para despistar os órgãos de controle", apontou a PF.

A maior quantia saiu do Hospital do Câncer, no centro de São Luís: R$ 110,5 mil. Da UPA Vila Luizão, também na capital maranhense, foram transferidos R$ 82 mil.

"Além de desviar recursos das pessoas mais necessitadas desse de nosso Estado, as condutas praticadas por Péricles Silva Filho não respeitaram nem os valores destinados ao Hospital Geral do Maranhão (Hospital do Câncer), Centro, São Luís/MA, de onde ele teria desviado R$ 110.500,00", acentua a PF.

A reportagem ligou para um número de telefone em nome de Péricles Silva Filho, mas não conseguiu realizar a ligação. O espaço está aberto para manifestação de defesa.