22°
Máx
16°
Min

PMDB traz discursos duros contra Dilma em sessão do impeachment

O PMDB abriu a sessão que discute o impeachment da presidente Dilma Rousseff. Cinco deputados se revezaram no púlpito por uma hora com discursos duros contra a presidente. A exceção foi o líder da bancada, Leonardo Picciani (RJ), que trouxe fala mais neutra, embora tenha reconhecido que a maior parte da bancada votará contra o impeachment.

"Quero fazer um apelo aos meus companheiros de bancada. Seja qual for o resultado, que todos tenhamos a grandeza com o País. Grandeza que faltou depois da eleição de 2014. Faltou a compreensão de que havia uma divisão no País e que era preciso estabelecer as pontes", declarou Picciani. Ele agradeceu a compreensão dos colegas de bancada pelo seu posicionamento contrário ao impeachment e fez críticas tanto ao governo quanto à oposição.

O deputado Lelo Coimbra (ES) mostrou o tom crítico que os demais na bancada adotariam durante o tempo de discurso do PMDB. Confrontando diretamente a presidente, apontando o desgaste econômico e político do governo, o deputado apresentou seu posicionamento favorável ao impeachment.

Coimbra afirmou que o governo está na "xepa", o fim da feira, oferecendo os últimos cargos em troca de apoio. Ele também acusou a presidente de construir uma narrativa "falaciosa" de golpe, enquanto o ex-presidente Lula coordena uma presidência paralela em hotel ao lado do Alvorada.

Osmar Serraglio (PR), Soraya Santos (RJ) e Manoel Júnior (PB) seguiram o mesmo discurso, parabenizaram o parecer do relator da comissão especial do impeachment, Jovair Arantes (PDT-GO), e também defenderam o vice-presidente e correligionário Michel Temer.

Serraglio afirmou que o vice não confabulou contra a presidente, mas que se destacou naturalmente. Soraya chegou a dizer que Temer é o "farol e a esperança" do Brasil.