23°
Máx
12°
Min

Polícia da Paraíba investiga assassinato de presidente municipal do PT no Estado

A polícia da Paraíba abriu inquérito para investigar a morte do assentado da reforma agrária e presidente do diretório do PT no município de Mogeiro (a 112 km de João Pessoa), Ivanildo Francisco da Silva, de 46 anos. Ele foi assassinado por volta das 22h da quarta-feira, 6, com um tiro de espingarda calibre 12 na cabeça, na casa onde morava, no assentamento Padre João Maria, na zona rural do município. O delegado da cidade vizinha de Itabaiana, Hugo Helder, iniciou os primeiros levantamentos por determinação da Secretaria de Segurança Pública, que enviará um delegado para apurar o crime em caráter especial.

A presidente do PT da Paraíba, Giucélia Figueiredo, lamentou o crime e cobrou da polícia a identificação e prisão dos culpados. "Acreditamos que o presidente do PT de Mogeiro foi vítima do latifúndio que impera na região. Até porque, ele tinha em sua história a luta pelos trabalhadores do campo, sempre acompanhando e apoiando as ações desenvolvidas pela Comissão Pastoral da Terra (CPT)", afirmou Giucélia Figueiredo na nota.

Ela disse esperar que a Polícia da Paraíba encontre os verdadeiros culpados pelo assassinado "de um grande companheiro de luta, que perdeu a vida por acreditar que a terra é um bem de todos, e não apenas de alguns". Em 2015, Ivanildo Francisco escapou de um atentado juntamente com outros assentados da reforma agrária.

O deputado Frei Anastácio (PT), que comanda a Pastoral da Terra no Estado, disse não ter dúvidas de que Ivanildo foi assassinado a mando de latifundiários. "Em outubro do ano passado, ele e outros cinco agricultores da fazenda Salgadinho, no município de Mogeiro, foram feridos a tiros de espingardas 12 e revólveres 38 por capangas pagos", disse Frei Anastácio.