22°
Máx
17°
Min

Policiais recolhem documentos e equipamentos em escritório de dono do sítio

Agentes da Polícia Federal e da Receita Federal fizeram cópias de arquivos de computador e apreenderam documentos, contratos, celulares e tablets na busca e apreensão realizada na casa e nas empresas de Jonas Suassuna. O empresário é um dos alvos da 24ª etapa da Operação Lava Jato, realizada nesta sexta-feira, 4.

Dono do Grupo Gol, Suassuna é um dos proprietários do sítio em Atibaia (SP) frequentado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que nega ser dono do sítio. Lula sustenta que a compra foi uma "surpresa" de amigos para que ele pudesse desfrutar da propriedade depois de que deixasse a presidência da República.

O Grupo Gol reúne editoras de material impresso e virtual, tecnologia da informação e criação de aplicativos. Suassuna também é sócio de Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, em empresas que atuam no ramo de tecnologia.

A ação dos policiais terminou às 14h40, na sede do Grupo Gol, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. Os agentes deixaram o local em três carros. Eles levaram dois malotes e um dos agentes carregava um HD de computador dentro de um envelope. Mais cedo, por volta das 13h, um homem saiu do escritório com o rosto coberto. Os advogados de Suassuna acompanharam a busca e apreensão.

Por volta das 6h, os policiais e fiscais da Receita chegaram ao apartamento de Suassuna, em um condomínio de luxo na Barra da Tijuca. Os agentes estavam em dois carros e apreenderam telefones celulares, tablets e HDs de computadores pessoais de Suassuna e de sua mulher, Claudia Bueri.