20°
Máx
14°
Min

Ponta Grossa: último debate antes da eleição é marcado por ataques

Trocas de acusações e ataques ao candidato à reeleição marcam último encontro televisivo entre concorrentes (Foto: Divulgação) - Ponta Grossa: último debate antes da eleição é marcado por ataques
Trocas de acusações e ataques ao candidato à reeleição marcam último encontro televisivo entre concorrentes (Foto: Divulgação)

Troca de acusações, ataques pessoais e indiretas marcaram o último debate entre os candidatos à Prefeitura de Ponta Grossa, realizado na noite desta quinta-feira (29) e invadindo a madrugada desta sexta-feira (30) nos estúdios da RPC. Dos cinco concorrentes, participaram Professor Gadini (PSOL), Júlio Küller (PMB), Marcelo Rangel (PPS) e Aliel Machado (Rede). O candidato Leandro Soares Machado (PPL) não foi convidado porque seu partido não possui o número mínimo de parlamentares na Câmara Federal.

Divido em quatro blocos, o debate contou apenas com perguntas diretas entre os candidatos. Nos primeiro e terceiro blocos, os temas foram sorteados pela organização do programa, enquanto no segundo e no quarto bloco, os assuntos eram livres.

No primeiro bloco, foram debatidos temas como segurança, mobilidade urbana, acessibilidade e cultura, com cada candidato respondendo a apenas uma questão. Na segunda parte do debate, quando o tema pode ser escolhido por cada participante e cada um podia responder, no máximo, a duas perguntas, foram discutidos o papel dos conselhos municipais na administração municipal, saída de Küller da base do governo para a oposição, industrialização, habitação e gastos com publicidade.

Na sequência, quando os temas voltaram a ser sorteados, o debate envolveu questões relacionadas à geração de empregos, esporte e lazer, industrialização, meio ambiente e funcionalismo público. No último bloco – que também contou com as considerações finais –, os candidatos puderam discutir sobre políticas públicas para os distritos, apoio de candidatos ligados ao conflito com professores em abril do ano passado em Curitiba, crise financeira e projetos para a cultura.

Esta foi a última oportunidade de assistir aos candidatos na televisão, já que esta quinta-feira também marcou o fim da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV. As campanhas continuam nas redes sociais e nos sites dos candidatos, onde as propostas e planos de governo podem ser acessadas e analisadas pelos eleitores.