21°
Máx
17°
Min

PP poderá deixar governo se o PMDB desembarcar, dizem líderes do partido a Dilma

Lideranças do PP disseram nesta terça-feira, 22, à presidente Dilma Rousseff que, se o PMDB desembarcar do governo nas próximas semanas, será quase inevitável o partido também deixar governo.

Hoje, deputados do PP entregaram ao presidente da sigla, senador Ciro Nogueira (PI), lista com apoio de mais de um terço da bancada na Câmara pedindo antecipação de convenção do partido para decidir se a agremiação desembarca do governo.

A reunião com lideranças do PP foi convocada por Dilma e faz parte da série de encontros que a presidente tem feito com partidos da base aliada, para pedir ajuda na luta contra o impeachment. Ontem, ela se encontrou com o PR.

Na reunião do PP, Dilma pediu uma visão do atual quadro da bancada. "Dissemos da dificuldade de apoio hoje e que o governo precisa ser reativo com muita velocidade para tentar conter esse movimento", disse um dos participantes.

Líderes do PP ressaltaram à presidente que a posição do PMDB será "muito importante" para definir o comportamento dos outros partidos da base. O partido do vice-presidente Michel Temer deve decidir se desembarca ou não na próxima terça-feira, 29.

"Se o PMDB tomar posição pelo desembarque, tende a criar um campo da base (aliada) de que a situação é extremamente complicada e que o desembarque será quase inevitável", relatou um parlamentar do PP.

De acordo com líderes do PP, Dilma disse que iria fazer de tudo para evitar o desembarque do PMDB. A petista comentou que o Planalto já está conversando com lideranças peemedebistas para tentar evitar a saída da sigla do governo.

Lista

Nesta terça-feira, o deputado Jerônimo Goergen (PP-RS) entregou a Ciro Nogueira lista com assinaturas de 22 deputados e quatro senadores pedindo a antecipação da convenção nacional do partido para discutir desembarque do governo Dilma.

Segundo Goergen, que é da bancada ruralista, Nogueira marcou um novo encontro das bancadas do PP no Congresso para a próxima quarta-feira, 31 (dois dias após a reunião do PMDB), para que possam discutir novamente o assunto.

De acordo com um parlamentar do PP, embora já tenha o número mínimo de assinaturas que o obriga a convocar a convenção, Ciro quer "ganhar tempo" para só convocar a convenção após a decisão do PMDB.