Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Prefeita de Colombo deve restituir R$ 106,5 mil desviados de obra

(Foto: Divulgação) - Prefeita de Colombo deve restituir R$ 106,5 mil desviados de obra
(Foto: Divulgação)

O Tribunal de Contas do Paraná (TCE) condenou a prefeita de Colombo, Izabete Pavin, a restituir R$ 106.483,38 ao cofre do Município, corrigidos. O motivo da devolução, segunto o TCE, foram pagamentos irregulares pelas obras na Escola João Batista Stocco, no bairro Moinho Velho, identificados em tomada de contas extraordinária.

O relatório da auditoria realizada em 2005 pela então Coordenadoria de Apoio Técnico do TCE-PR, apontou que a empresa Susharski Engenharia Limitada recebeu R$ 94.647,68 por serviços não executados ou executados em quantidades inferiores ao previsto no Contrato nº 009/2002. Por serviços executados em desconformidade com o documento, a empresa recebeu outros R$ 2.746,90.

O relatório revelou, ainda, que a prefeita à época - reeleita em outubro para o mandato 2017-2020 - pagou a outra empreiteira, a GDCOLL Construção Civil Limitada, a importância de R$ 9.088,80 por serviços nas obras da Escola que haviam sido contratados e pagos à Susharski (Contrato nº 135/2004). Segundo a instrução do processo, Izabete e o engenheiro civil Rovani Nogueira Lançoni - que deveria fiscalizar a obra e foi responsabilizado solidariamente pela restituição dos valores - não apresentaram defesa.

Colaboração TCE