22°
Máx
17°
Min

Prefeitos de 7 cidades brasileiras foram eleitos com vantagem de apenas um voto

Em sete cidades brasileiras, a escolha de um único eleitor decidiu os destinos do prefeito eleito e do candidato derrotado nas eleições de domingo, 2. A diferença foi de apenas um voto, segundo os números do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Em Cariús, no Ceará, a disputa foi ainda mais apertada: os candidatos tiveram exatamente o mesmo número de votos e, conforme prevê a legislação, foi considerado eleito o de mais idade.

Um voto fez toda a diferença para o prefeito eleito de Bom Sucesso de Itararé, Luiz Humberto (PSDB). Na disputa mais acirrada do Estado de São Paulo, ele teve 1.231 votos, uma a mais que a segunda colocada, Vanderleia Aparecida dos Santos Souza, a Léia (PTB). Humberto chegou a dizer que tinha sido eleito com "o votinho lá de cima", numa referência a Deus.

Em Barra do Ouro, norte de Tocantins, a candidata do PMDB, Raimunda Virgilene Souza de Oliveira, a Lena, venceu com um voto de diferença a adversária Harielle Batista Miranda, do PSDB. Ela foi eleita com 1.071 e a adversária teve 1.070. Outros quatro candidatos disputaram a prefeitura. A cidade tem 3.748 eleitores.

O peemedebista Leo Cesar Tessaro foi eleito prefeito de Caseiros, no Rio Grande do Sul, recebendo um voto a mais que os 1.245 dados ao concorrente, Marco José Canali, do PP. A disputa na cidade do norte gaúcho teve apenas dois candidatos.

Em Serranos, no sul de Minas Gerais, o prefeito José da Cunha Vasconcelos, do PT, foi reeleito com 769 votos, um a mais que o segundo colocado, Marcelo Azevedo Carvalho, do PP. Três candidatos disputaram os votos de 1.954 eleitores - houve apenas 76 abstenções.

A eleição também foi definida por um voto em Pescaria Brava, no sul de Santa Catarina, onde 6.922 eleitores foram às urnas. Deyvisonn da Silva de Souza (PMDB) foi eleito com 2.751 votos. Em segundo lugar ficou Antonio Avelino Honorato Filho (PSDB).

Em Palestina (AL), os eleitores reelegeram a prefeita Eliane Silva Lisboa, a Lane Cabudo, do PSD, com 1.869 votos, dando um a menos para seu concorrente, Junior Alcântara, do PMDB. A diferença se repetiu em Aral Moreira, em Mato Grosso do Sul, divisa com o Paraguai, onde Alexandrino Garcia (PR) se elegeu com 2.558 votos, deixando para trás a adversária Marinês Oliveira (DEM).

Empate

Na disputa mais acirrada do País, em Cariús (CE), dois candidatos tiveram exatamente a mesma votação, segundo o TSE. José Fernandes Ferreira, o Iran, do PSDB, e Antonio Valdenizo da Costa, o Nizo, do PMDB, empataram com 5.811 votos.

A cidade tem 12.766 eleitores e 625 não foram votar. De acordo com o TSE, o artigo 110 do Código Eleitoral determina que, em caso de empate, será dado como eleito o candidato mais idoso. Iran, de 46 anos, cinco a mais que o adversário, foi considerado eleito.