22°
Máx
17°
Min

Prefeitos defendem diálogo nacional para superar crise

Enquanto o País atravessa uma de suas maiores crises, prefeitos de todo o País defendem a necessidade de um diálogo nacional que permita a busca da readequação das finanças de seus municípios a fim de que os serviços essenciais prestados à população não fiquem ainda mais comprometidos. Reunidos na 69ª Reunião Geral da Frente Nacional dos Prefeitos (FNP), ocorrida no Rio de Janeiro, os prefeitos elaboraram uma carta em que pedem esse diálogo nacional e alertam que a instabilidade gerada pelo acirramento da crise política e econômica "tende a impulsionar um equivocado sentimento de desqualificação generalizada da atividade política, além da relativização de direitos fundamentais arduamente conquistados pela democracia brasileira".

O documento da FNP diz que o momento exige serenidade, mas também coragem para vislumbrar o futuro. "É hora se trabalhar pela normalidade institucional, política e econômica. O combate à corrupção só será uma bandeira efetiva da sociedade se os preceitos constitucionais forem rigorosamente perseguidos pelos atores dos três poderes. Portanto, é fundamental trabalharmos pelo diálogo, preservando a diversidade e o pluralismo, com foco na concertação política, premissas fundamentais e históricas da FNP."

Para os gestores municipais, a despeito da crise nacional, é fundamental enfrentar os desafios da vida nas cidades, com a promoção da geração de emprego e renda, atendendo a população, aprimorando os serviços públicos prestados e cumprindo os compromissos com o funcionalismo. "Para buscarmos alternativas à crise e seus desdobramentos nos estados e municípios, propomos avançar concretamente no diálogo federativo, com a instituição de uma mesa federativa plena, com a participação da União, de governadores e prefeitos, consolidando um espaço de tomada de decisões sobre temas que afligem os cidadãos em seu cotidiano, como a mobilidade urbana e a saúde pública", diz outro trecho da carta dos prefeitos.

Na avaliação da Frente Nacional dos Prefeitos, apenas o diálogo federativo e a defesa intransigente dos princípios constitucionais e democráticos podem superar a grave crise que o País enfrenta. "A voz das ruas ecoa, para prefeitos e prefeitas, também como uma convocação para um pacto nacional por mais qualidade e eficiência nos serviços públicos e melhores condições de vida no País envolvendo todos os entes da federação. Sem a retomada do crescimento econômico não há alternativa para os desafios do Brasil", concluem os gestores municipais.