21°
Máx
17°
Min

Presença de Jucá no Congresso provoca discussão entre Renan e Jandira Feghali

O retorno do senador Romero Jucá (PMDB-RR) ao plenário da Câmara, onde está sendo realizada nesta terça-feira, 24, a sessão do Congresso para apreciação de vetos presidenciais e da alteração da Meta Fiscal, provocou um bate-boca entre a deputada Jandira Feghali (PC do B-RJ) e o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL).

Jucá retornou à sessão por volta das 20h30, depois de passar o dia fora do plenário. Na abertura da sessão, por volta das 11h30, a presença dele causou questionamentos de deputados ligados à presidente afastada, Dilma Rousseff. Ele discursou em defesa de sua inocência e, em seguida, se retirou afirmando que queria evitar que a discussão monotemática atrapalhasse a votação de pautas importantes para o governo.

A discussão começou quando Feghali questionou o fato de Jucá estar sentado na Mesa do Congresso durante a sessão. Segundo ela, a presença do senador peemedebista incomodava os parlamentares. "Incomoda muitos de nós que, mesmo o senador Romero Jucá tendo mantido o mandato até aqui, entre no Senado e sente-se à mesa, como se mantivesse autoridade, e ainda fique fazendo gozação com a intervenção de parlamentares na tribuna e sorrindo", disse a deputada.

"Devia ter, pelo menos, a capacidade de se recolher, ou alguém o recolher, para que a gente possa ter o respeito da sociedade e não seja tão acintosa a presença dele no plenário dessa forma", completou.

A manifestação de Feghali motivou o deputado Givaldo Carimbão (PHS-AL) a sair em defesa da presença de Jucá no plenário. Foi quando Renan, da presidência, tomou a palavra para repreender a deputada. "O deputado Carimbão estranhou a proporcionalidade. Ele não viu a senhora ter a mesma proporcionalidade de veemência no caso do ministro Aloísio Mercadante", disse Renan.

O presidente do Senado referiu-se ao áudio em que o ex-ministro da Educação foi flagrado oferecendo apoio jurídico, financeiro e político para que o ex-senador Delcídio do Amaral não fizesse delação premiada. "Não falou com a força que falou do caso de Romero Jucá", completou Renan.

Após manifestação do presidente da sessão, Carimbão ficou gritando "Parabéns Renan", enquanto Jandira Feghali questionou o fato de Renan estar rebatendo sua fala sentado na cadeira da presidência. "O senhor vai me responder da Mesa?", questionou a deputada.