28°
Máx
17°
Min

Presidente da CCJ tem dificuldade em encontrar relator para recursos de Cunha

O presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), Osmar Serraglio (PMDB-RJ), adiou para esta quinta, 16, a escolha do relator que analisará os recursos do deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) contra o processo disciplinar concluído nessa terça, 14, pelo Conselho de Ética. Com a recusa do deputado Evandro Gussi (PV-SP), Serraglio vem encontrando dificuldades para escolher alguém que se enquadre nos critérios que ele determinou para assumir a relatoria dos recursos.

Serraglio decidiu que o relator dos recursos não poderá ser do mesmo partido do relator do pedido de cassação no Conselho de Ética, deputado Marcos Rogério (DEM-RO), ou do mesmo bloco parlamentar do PMDB, tampouco membro do Conselho de Ética. "Quero botar alguém que não tenha dito até agora se está de um lado ou de outro", justificou nesta manhã. Parlamentares que assinaram um documento apoiando a representação do PSOL e da Rede contra Cunha também não poderão relatar os recursos.

Assim, dos 66 membros titulares da CCJ, 29 estarão impedidos de assumir a função porque são do bloco parlamentar liderado pelo PMDB de Cunha. No bloco do PT há 20 titulares, mas três são membros do Conselho de Ética e outros assinaram o apoio à representação. No bloco do PSDB, com 13 titulares, dois estão no conselho e Serraglio procura saber quem do grupo também assinou o apoio à representação.

O presidente da CCJ passou a tarde conversando com deputados e circulando pelo plenário com uma lista de nomes em mãos. Ele disse que dois deputados se ofereceram para relatar os recursos, mas se recusou a revelar os nomes. Inicialmente, Serraglio havia descartado a hipótese de escolher o primeiro que se candidatasse à vaga.

A busca do peemedebista por um relator começou hoje, após o deputado Elmar Nascimento (DEM-BA) informar que estava deixando a relatoria dos recursos que Cunha já havia impetrado no final do ano passado na CCJ. Os pedidos estavam paralisados na comissão aguardando o fim do processo no conselho e vão se juntar os demais pedidos que Cunha apresentará nos próximos dias. Nascimento argumentou que se sentia desconfortável em relatar os recursos que se opõem ao trabalho de Rogério, seu colega de bancada.