22°
Máx
17°
Min

Promotores da Fifa recomendam banimento vitalício de chileno e colombiano

Os promotores da Comissão de Ética da Fifa solicitaram o banimento vitalício de dois ex-vice-presidentes da Confederação Sul-Americana de Futebol, que já se declararam culpados em uma investigação da Justiça norte-americana sobre corrupção.

O comitê anunciou nesta quinta-feira o final das investigações contra o colombiano Luis Bedoya e o chileno Sergio Jadue. Até sua renúncia em novembro do ano passado, Bedoya fazia parte do Comitê Executivo da Fifa.

O caso agora vai para os juízes do comitê, que vão examinar as seis acusações apresentada contra os dois ex-dirigentes, incluindo suborno e conflito de interesses. Nesse momento, nenhuma data foi definida para as audiências. "Até que o comitê de ética tome as decisões formais, os senhores Bedoya e Jadue são supostamente inocentes", apontou os promotores do comitê em um comunicado.

Os dois ex-dirigentes já se declararam culpados de conspiração e fraude em transferência bancária. A acusação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, divulgada em dezembro, aponta que Bedoya e Jadue aceitaram "pagamentos anuais de subornos de seis dígitos", relacionados com os direitos sobre torneios.

Os pagamentos foram feitos através de uma agência de marketing na Argentina para a

Copa Libertadores para Bedoya desde 2010 e a Jadue a partir de 2012, afirma a acusação.

Como parte de sua defesa, Bedoya concordou em renunciar a todos os fundos depositados em uma conta bancária na Suíça, que tem, entre outros recursos, explicou a Justiça norte-americano. Jadue, por sua vez, renunciou ao dinheiro guardado em uma conta nos Estados Unidos.

Ambos também abandonaram a presidência das federações de futebol de seus respectivos países durante as investigações.