Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

PT do Piauí convoca manifestações diárias e vigília para defender Lula e governo

O Partido dos Trabalhadores (PT) convocou a militância e aliados e organizou uma vigília permanente em defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do Governo do PT. Segundo a coordenadora de movimentos sociais do partido, Neide Carvalho, os movimentos de rua vão acontecer todos os dias até o dia 31 de março, quando acontece a Marcha dos 100 mil à Brasília.

"Diante do avanço do golpe civil como ataque irresponsável ao maior líder político deste país, Lula, o PT convida os demais partidos do campo democrático popular, as centrais sindicais, os movimentos populares e demais organizações para vigília", diz nota assinada pela presidente da Executiva estadual do PT, senadora Regina Sousa. O encontro ocorrerá na Praça da Liberdade e, segundo o PT, é uma vigília em defesa dos direitos de cidadão do ex-presidente Lula, do Estado democrático de direito do Brasil e da não instrumentalização política das instituições publicas.

As manifestações mobilizaram ainda movimentos sociais e sindicais para pedir apoio a Lula e ao PT, incluindo a Federação das Associações de Moradores e Conselhos Comunitários (Famcc) e a Central Única dos Trabalhadores (CUT). "Essa vigília vai ser permanente, inclusive contra o abuso de poder do Judiciário, que rompeu as barreiras da democracia e, sem respeitar o direito de defesa, adotou medidas de forma desrespeitosa ao presidente Lula. Vamos para as ruas e todos os dias, até o dia 31, faremos manifestações em defesa do Lula, em defesa do projeto democrático popular e contra o golpe à democracia", afirmou Neide Carvalho, presidente da Famcc.

A senadora petista Regina Sousa publicou um vídeo nas redes sociais onde se solidariza com o ex-presidente Lula. Ela afirma na gravação que o golpe está dado e que as elites estão juntas. "Primeiro eu quero prestar solidariedade ao presidente Lula e a sua família aos companheiros do PT como um todo. Depois dizer que o golpe está dado, as elites se juntaram e conseguiram se mobilizar para quebrar o estado de direito desse País", disse. "Não justifica essa coerção do Lula. "Ele não se negou a depor. É um pacto da Rede Globo, do Ministério Público, da PF e de outros setores do Judiciário para derrubar a presidenta Dilma e liquidar o PT, extinguir o PT, e hoje e todos os dias daqui pra frente vamos estar nas ruas lutando contra essa arbitrariedade", anunciou a petista.

A primeira manifestação reuniu cerca de 200 militantes no centro da cidade. O núcleo duro do PT compareceu ao movimento com carro de som e faixas de apoio ao ex-presidente.

Diretório baiano

Em entrevista coletiva realizada na tarde desta sexta-feira, na sede do PT em Salvador, o presidente regional do partido Everaldo Anunciação anunciou que toda a militância petista e os movimentos sociais que apoiam o projeto do PT vão às ruas, na capital baiana, "defender a democracia". A mobilização nas ruas deve ocorrer a partir da próxima terça-feira, dia 08.

Anunciação diz que o partido foi golpeado pela 24ª etapa da Operação Lava Jato. "Vamos fazer vigília permanente para defender a democracia", disse. O presidente regional explicou que os petistas baianos sairão às ruas em homenagem à mulher, na próxima terça, mas também em defesa do ex-presidente Lula, principal alvo da ação realizada pela Polícia Federal nesta sexta-feira. Comemora-se na próxima terça-feira o Dia Internacional da Mulher.

"Nos sentimos golpeados com essa ação ilegal e irresponsável da Polícia Federal, que afrontou o PT e o Estado de direito democrático. Não vamos ficar silenciosos", disse. Ele informou estar em contato permanente com a direção nacional do partido, e o movimento Frente Brasil, que reúne várias entidades, articulando outra movimentação pública no dia 13, domingo. Na mesma data os partidos de oposição estão conclamando a população para um grande protesto nacional em favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Nesta sexta, um pequeno grupo se reuniu, pela manhã, na porta da Polícia Federal, na Cidade Baixa, portando bandeiras e faixas. Pela tarde, a militância seguiu para a sede do diretório estadual, no bairro do Rio Vermelho, onde permaneceu em vigília, acompanhando os desdobramentos da operação.