24°
Máx
17°
Min

PT exigirá de Alckmin no ato do dia 18 a mesma proteção em SP do ato do dia 13

O Partido dos Trabalhadores (PT) vai exigir do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, a mesma proteção que o Estado está cogitando dar ao ato pró impeachment da presidente da República, Dilma Rousseff, no próximo domingo, 13, ao ato dos petistas marcado para o dia 18. A afirmação é do presidente do PT de São Paulo, Emídio de Souza.

Ele falou com a imprensa na chegada para a reunião da cúpula petista, convocada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em um hotel na Zona Sul da capital paulista. "O PT defende a livre manifestação. Nós não estamos recomendando que os petistas vão ao ato.

Ao contrário, estamos recomendando que não vão ao ato da Avenida Paulista. O nosso ato será no dia 18 de março na própria Avenida Paulista e eu quero inclusive aproveitar para pedir ao governador do Estado que dê ao nosso ato a mesma proteção que está oferecendo ao ato contra as Dilma agora", disse Emídio.

O dirigente petista disse que os militantes, dirigentes e parlamentares petistas são agredidos em restaurantes, aeroportos e em aviões o tempo todo. "E nunca vi uma proteção dessa forma. Então nós vamos exigir do governador que dê ao nosso ato a mesma proteção", reiterou, acrescentando que se Alckmin liberar o metrô como das últimas vezes, vai ter que liberar para os petistas também.

Perguntado sobre o que pretendia propor na reunião, Emídio disse que "o encontro foi chamado pelo presidente Lula e ele é quem vai dar o tom, não somos nós", disse. "Espero que os coxinhas não vão ao nosso ato e que o governador do Estado coloque a PM (Polícia Militar) para proteger o nosso ato da mesma forma que está protegendo agora", disse.