27°
Máx
13°
Min

Queda de ministros e suspeitas de obstrução à Justiça são lembradas em pesquisa

A queda de três ministros por conta de denúncias de corrupção e as suspeitas de obstrução de Justiça pela cúpula do PMDB são as principais lembranças da população em relação ao governo do presidente em exercício, Michel Temer.

Tais notícias foram mencionadas por 7% dos entrevistados na pesquisa de avaliação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), feita em parceria com o Ibope e divulgada nesta sexta-feira, 1.

Em segundo lugar, 5% dos entrevistados citaram desdobramentos de investigações de corrupção na Petrobras e a operação Lava Jato como uma das notícias mais lembradas.

Na sequência aparecem o processo de cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afastado da Câmara dos Deputados pelo Supremo Tribunal Federal (STF); notícias sobre corrupção no governo; e notícias sobre novos planos e ações da gestão provisória, todos empatados com 3%.

Um dos resultados que mais surpreendeu a CNI, segundo o gerente executivo de Pesquisa da instituição, Renato da Fonseca, foi o fato de que mais da metade dos entrevistados (63%) não lembraram ou não quiseram citar alguma notícia. Na última pesquisa da CNI com o Ibope, divulgada em março, durante a gestão da presidente afastada, Dilma Rousseff, apenas 25% não quiseram ou não conseguiram opinar.

Para 40% dos brasileiros, as notícias recentes são desfavoráveis ao governo. Na comparação com a pesquisa anterior, esse porcentual recuou 36 pontos percentuais. O porcentual dos que consideram as notícias mais favoráveis ao governo é de 18%, já o anterior era de 10%. Houve um aumento de 9% para 25% dos que acham que as notícias não são favoráveis, nem desfavoráveis. Já os que não quiseram responder aumentaram de 5% para 17%.

Os questionamentos foram feitos entre os dias 24 e 27 de junho. Foram ouvidas 2.002 pessoas, todas acima de 16 anos, em 142 municípios. O grau de confiança da pesquisa é de 95% e a margem de erro, de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo.

Direito a um tempo

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, disse que a população brasileira tem "direito" de ter um tempo necessário para conhecer o governo do presidente em exercício, Michel Temer.

"Temos um governo que está se apresentando à sociedade brasileira. O povo tem direito de ter um tempo necessário para conhecer, ver como se apresenta essa transição. O presidente da República tem conhecimento dessa liturgia do momento até que possa ser efetivado pelo Senado", afirmou Araújo, depois de participar de entregas de moradias do Minha Casa Minha Vida, no Paranoá, Região Administrativa do Distrito Federal.

Pesquisa Ibope encomendada pela CNI apontou que 39% dos brasileiros avaliam o governo do presidente em exercício, Michel Temer, como ruim ou péssimo. Segundo a pesquisa, 13% avaliam o governo interino como ótimo ou bom e 36% acham que ele é regular.

"Há uma percepção de parte da sociedade que há uma mudança", afirmou Araújo. "Tenho certeza que ao longo desse processo, a sociedade vai ter clareza que essa transição tem sido feita na medida certa para entregar o Brasil em 2018 para eleição de seu novo líder", completou.