28°
Máx
17°
Min

Queiroz Galvão representa 'todos os pecados', diz procurador da Lava Jato

Ao comentar a Operação Resta Um, 33.ª fase da Lava Jato deflagrada nesta terça-feira, 2, o procurador regional da República Carlos Fernando dos Santos Lima disse que a empreiteira Queiroz Galvão representa "todos os pecados". Lima compõe a força-tarefa do Ministério Público Federal. "Todos os pecados, toda espécie de crime", disse o procurador, ao divulgar detalhes da investigação

O nome da operação é uma referência ao fato de a Queiroz Galvão ser a última empreiteira do cartel Vip que se instalou na Petrobras para assumir o controle de contratos bilionários e um esquema de repasses de propinas a políticos e ex-dirigentes da estatal petrolífera.

"A Queiroz Galvão está envolvida no pagamento de propinas através de caixa um, doações eleitorais sob o manto de uma suposta legalidade. Temos caixa 2, por exemplo, pagamento para a campanha de reeleição do ex-presidente Lula em 2006, também em propinas. Temos corrupção efetiva através de Alberto Youssef (doleiro da Lava Jato)", descreveu o procurador.

Lima anotou, ainda, que a empreiteira manteve funcionários no exterior, para driblar a ação das autoridades brasileiras - expediente que também teria sido utilizado pela Odebrecht.

O procurador relembrou, ainda, que a Queiroz Galvão protagonizou o repasse de R$ 10 milhões, em 2009, para barrar as investigações da CPI da Petrobras, operação que envolveu o senador Sérgio Guerra, então presidente do PSDB, morto em 2014.R