23°
Máx
12°
Min

Recém-saído da SAC, Mauro Lopes, do PMDB, diz que só declarará voto no domingo

Recém-exonerado da Secretaria da Aviação Civil (SAC) para retornar à Câmara e participar da votação do impeachment, o deputado federal Mauro Lopes (PMDB-MG) evitou nesta sexta-feira, 15, dizer qual será seu voto. "Só declaro no domingo", afirmou, após ser abordado pelo Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, no plenário da Casa.

Lopes foi exonerado do cargo nos últimos dias, assim como o ex-ministros do PMDB Celso Pansera (Ciência, Tecnologia e Inovação) e Marcelo Castro (Saúde), para reassumir o mandato de deputado e participar da votação. O petista Patrus Ananias, do Desenvolvimento Agrário, também se licenciou para votar no domingo. Na última terça-feira, Pansera chegou a dizer que os três peemedebistas votariam contra o impeachment.

Diferente de Lopes, Pansera e Castro anunciaram o voto antes da reunião da bancada do PMDB nessa quinta-feira, 14. Eles fazem parte dos cerca de 10% dos integrantes da bancada que votarão contra o impedimento da presidente Dilma.

Mauro Lopes foi nomeado pelo Palácio do Planalto em março deste ano, como uma das últimas tentativas do governo Dilma de manter o PMDB na base aliada. O partido, contudo, anunciou rompimento oficial com o governo semanas depois, embora seis dos sete ministros da sigla tenham permanecido no governo depois.

Com quase 80 anos de idade, Lopes é membro da bancada do PMDB de Minas Gerais, que, apesar de ter aliança regional com o governador Fernando Pimentel (PT), chegou a anunciar rompimento com o governo federal antes de a direção nacional anunciar o desembarque oficial.