26°
Máx
19°
Min

Reconhecimento formal de ruas é aprovado na Câmara

(Foto: Divulgação/Câmara de Vereadores) - Reconhecimento formal de ruas é aprovado na Câmara
(Foto: Divulgação/Câmara de Vereadores)

Os vereadores discutiram sete projetos de lei na sessão ordinária da Câmara de Vereadores de Curitiba desta manhã (21). Mas, antes do início efetivo das votações a sessão foi suspensa para o pronunciamento do presidente da APP Sindicato, professor Hermes Leão, que ganhou o direito de resposta a acusações feitas pelo vereador professor Galdino. As declarações de Galdino foram feitas no dia 14 de junho, e afirmaram que “tudo leva a crer que o dinheiro desviado da Petrobras e da Eletrobras financiou a greve dos professores no ano passado, para prejudicar o governador Beto Richa”. Segundo ele, “esses supostos recursos foram repassados à APP Sindicato”.

Hermes Leão afirmou que “em um Estado democrático de direito, não é possível fazer acusações sem provar aquilo que está sendo dito” e que “vai acionar professor Galdino judicialmente”.

Também usou a tribuna o superintendente da Caixa Econômica Federal, Renato Scalabrin.

Retomada a sessão, o projeto do vereador Mestre Pop (PSC), que institui o “Dia do Artista de Rua”, foi aprovado em segunda votação.

Em segunda votação, e com bastante discussão, o projeto que reduz o tempo de reconhecimento de ruas informais, também foi aprovado. O Clube de Mães Vila Nossa Senhora do Pilar também teve o título de utilidade pública aprovado em segunda votação.

Em primeira votação, também foi aprovado o título de utilidade pública ao Instituto Vita de Ensino e Pesquisa, que agora retorna na sessão desta quarta-feira (22), para segunda votação.

Felipe Braga Côrtes (PSD), propôs que o dia 21 de março seja instituído o “Dia Mundial da Síndrome de Down”. O projeto passou no primeiro turno, assim como as propostas de Tito Zeglin (PDT), de denominar logradouro público de Koukite Yassaka e de Jorge Bernardi, de instituir a Semana Municipal da Segurança e Saúde nas instituições de Ensino.