28°
Máx
17°
Min

Rivalidade também nas urnas

Com dois candidatos com passado ligado ao Atlético-MG liderando a corrida eleitoral em Belo Horizonte, um panfleto apócrifo divulgado nas redes sociais pede aos torcedores do Cruzeiro, maior rival do time, que votem no deputado estadual Délio Malheiros, candidato do PSD.

O material conclama a "nação cruzeirense" a "rebaixar o Kalil de novo", em referência ao ex-presidente atleticano Alexandre Kalil (PHS), que está em segundo lugar na disputa, com 22%, conforme pesquisa Ibope. O ex-cartola reagiu e afirmou que o momento não é para tratar de futebol e que "pobre não tem time".

"Pobre precisa de remédio, precisa de médico, precisa de escola, precisa de cuidado, precisa de carinho. Eles não entendem isso porque não têm cheiro de povo. Não conhecem o povo." Em 2005, o Atlético-MG foi rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro, quando Kalil presidia o clube.

Délio, bem distante do segundo colocado, tem 4% nas intenções de voto. O líder nas pesquisas na capital, o também deputado estadual e ex-goleiro do alvinegro mineiro João Leite (PSDB), tem 33%. O material divulgado na internet afirma que no "campeonato eleitoral três nomes têm chance e estão na disputa em 2 de outubro". Cita, pela ordem, João Leite, Kalil e Délio. Na verdade, pela pesquisa Ibope, o candidato do PSD está em quarto lugar nas sondagens. Luís Tibé (PTdoB) é o terceiro, com 5%. O texto diz ainda que "os dois primeiros passam pro segundo turno" e o terceiro é "rebaixado". Por fim, afirma que "se descarregarmos nossos votos no terceiro, rebaixamos o Kalil de novo". O material tem fundo azul, cor predominante no uniforme cruzeirense.

Segundo Kalil, a discussão, no momento, não envolve futebol. "Quando um rapaz é morto pela violência, um tiro, um atropelamento, duvido que, ao olhar para ele, alguém vai perguntar para que time ele torce. Uma mãe que chega num posto de saúde, ninguém vai perguntar pra que time ela torce", afirmou o ex-cartola.

Cruzeirense

Questionado sobre o panfleto, Délio Malheiros, que é cruzeirense, afirmou que não tem nada a ver com a publicação. "Temos manifestações espontâneas de apoio de várias torcidas, inclusive do Atlético. Mas o que defendemos é o afastamento da política de assuntos ligados, por exemplo, a religião e futebol."

Em nota, a torcida organizada Máfia Azul, uma das maiores do Cruzeiro, disse que apoia outro candidato na disputa, o deputado federal Rodrigo Pacheco (PMDB). A direção do Cruzeiro também negou participação na produção do material em circulação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.