22°
Máx
17°
Min

Rosso já admite esticar sessão da comissão do impeachment até 4h de sábado

Em virtude do atraso do início da sessão de debates, o presidente da comissão especial do impeachment, deputado Rogério Rosso (PSD-DF), já admite a possibilidade de esticar a sessão desta sexta-feira, 8, para até às 4h da madrugada de sábado, 9.

Em acordo firmado pela manhã, os líderes partidários concordaram em esticar a sessão até às 3h desta madrugada, independentemente de quantos tiverem conseguido se pronunciar. A ordem de discussão será alternada, um falará contra e outro à favor do relatório. Os líderes partidários devem falar na segunda-feira, 11.

Além do atraso, o início da sessão foi marcado por respostas às questões de ordem apresentadas por parlamentares e tentativas dos governistas de apresentarem novos questionamentos. Um dos pontos de discordância foi a decisão de Rosso de, caso um titular falte na votação de segunda-feira, validar o voto do suplente do bloco que registrar presença primeiro.

Defesa

O presidente da comissão do impeachment autorizou nesta tarde que a defesa da presidente Dilma Rousseff volte a se manifestar no plenário do colegiado ao final da sessão de debates desta sexta-feira.

"Ao final da discussão, se assim o quiserem, terão 15 minutos para utilizarem da palavra, de forma excepcional, em homenagem à ampla defesa", disse o parlamentar, ao responder uma questão de ordem dos governistas.

Na ultima segunda-feira, a defesa foi apresentada pessoalmente pelo advogado-geral da União, ministro José Eduardo Cardozo. A defesa foi impedida de se manifestar novamente na quarta-feira, 6, quando foi divulgado o parecer do relator Jovair Arantes (PTB-GO).