22°
Máx
14°
Min

Russomanno diz que, se eleito, convidará Haddad para inauguração de obras

Candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno disse que, se eleito, vai convidar o prefeito Fernando Haddad (PT), que tenta a reeleição, para a inauguração de unidades de saúde cujas obras de construção foram iniciadas na gestão do petista.

"Vamos continuar as obras que estão em andamento, das UBSs e hospitais. Não vamos parar nada, não importa quem começou", disse ele, pouco antes de iniciar uma carreata pelas ruas da região Sul da cidade. "Eu acho que o prefeito que assume deve convidar o ex-prefeito, já que ele começou a obra, para a inauguração. Eu faria isso com certeza", garantiu.

No bairro do Socorro, Russomanno comentou suas propostas para a área de Saúde. O candidato do PRB tem como principal diretriz para a área a informatização dos serviços para otimizar os atendimento e reduzir custos. E disse que vai priorizar as necessidades reais, analisando por meio da informatização a falta de leitos. "Aí vamos criar mais leitos", emendou.

Protestos

Em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de votos, o candidato do PRB tem evitado polêmicas. Além do afago a Haddad, a quem tem dirigido críticas restritas à gestão, Russomanno evitou nesta terça-feira, 6, fazer qualquer crítica à atuação da Polícia Militar nos recentes protestos contra o governo de Michel Temer.

"Protesto é legítimo desde que não quebre as coisas e não destrua o patrimônio privado e público. Não fazendo (isso) eu sou favorável que as pessoas exerçam seu direito previsto na Constituição, que é o de livre manifestação. Mas sem quebrar a destruir", disse.

Questionado sobre a atuação do governador Geraldo Alckmin (PSDB) nos atos na última semana, nos quais uma garota de 19 anos ficou cega de um olho após ser atingida por estilhaços de bombas atiradas pela polícia, Russomanno disse que ele deve analisar o que está acontecendo. "Todas essas manifestações são gravadas pela imprensa e pela polícia. Na condição de governador, ele deve agir se houver excessos", disse.