24°
Máx
17°
Min

Russomanno se recusa a opinar sobre reforma trabalhista

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, se negou nesta quarta-feira, 14, a emitir opinião sobre a reforma trabalhista argumentando que, se o fizesse, "iria gerar uma polêmica tão grande que a minha candidatura vai naufragar".

Russomanno visitou o 14° Congresso Internacional de shopping centers e exposhopping e, durante o almoço, respondeu a perguntas de empresários. Um deles questionou o que o candidato achava sobre a proposta de regulamentação das 12 horas de trabalho dentro do limite de 48 horas semanais. "Eu vou ser sincero. Eu não vou responder sua pergunta agora porque sou candidato a prefeito de São Paulo", disse. "Ia gerar uma polêmica tão grande que a minha candidatura vai naufragar", completou.

Questionado por jornalistas depois do almoço, o candidato do PRB disse que estas eram questões pontuais que não dizem respeito à cidade de São Paulo e que preferia falar sobre os problemas da cidade. "Vamos falar sobre a cidade de São Paulo. Eu sou candidato a prefeito. Quando tiver na condição de deputado eu respondo".

Russomanno é deputado federal e não se licenciou do cargo. Até as 14h desta quarta-feira, quando ele fazia campanha, a expectativa era de haver sessão plenária na Câmara e, pela manhã, as comissões funcionaram normalmente.

Diante da insistência dos jornalistas, Russomanno disse que estas são questões que "não dizem respeito à cidade". "Existem questões que são pontuais e delicadas e que não dizem respeito à cidade de São Paulo", disse.

Desde o início da campanha, Russomanno é líder nas pesquisas de intenção de votos e, por isso, tem procurado se esquivar de questões polêmicas. Assessores de sua campanha consideram que sua declaração de que o Uber é irregular foi a principal causa da queda de seu desempenho na última pesquisa Datafolha. Nesta quarta, Russomanno disse que "com certeza" qualquer declaração sua sobre um tema polêmico pode ser distorcida e usada eleitoralmente pelos adversários.