24°
Máx
17°
Min

Russomano lidera disputa por Prefeitura de São Paulo, aponta Datafolha

O deputado federal Celso Russomano (PRB) lidera a disputa pela Prefeitura de São Paulo, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira, 15. Se a eleição fosse hoje, ele teria 25% das intenções de voto. Na sequência aparecem Marta Suplicy (PMDB), com 16% da intenção dos votos; Luiza Erundina (PSOL), com 10%; Fernando Haddad (PT), com 8%; João Doria (PSDB), com 6% e Marco Feliciano (PSC), com 4%. A margem de erro do levantamento é de três pontos porcentuais, para mais ou para menos.

Em um segundo cenário, este sem a participação de Russomano na disputa, a sequência seria mantida. Marta Suplicy teria 21% das intenções de votos, seguida por Erundina (13%), Haddad (11%), Doria (7%) e Marco Feliciano (5%). Neste caso, Andrea Matarazzo, do PSD, também estaria entre os mais votados, com 5% do eleitorado.

No primeiro cenário, a fatia de votos em branco, nulo ou nenhum ficaria em 19%. O total de entrevistados que dizem não saber em quem votariam representam 4%. No segundo cenário, os votos em brancos, nulos ou que não sabem sobem para 25%. Entre aqueles que não sabem, a participação fica em 5%. A pesquisa ouviu 1.092 pessoas entre os dias 12 e 13 de julho.

Segundo turno

Russomano também sai vitorioso em todas as simulações de segundo turno feitas pelo Datafolha. Contra Marta Suplicy, a vitória seria por 48% a 31% dos votos. Contra Erundina, a diferença seria maior: 54% a 29%. Russomano também venceria Haddad (58% a 19%) e Doria (58% a 18%).

Sem Russomano no segundo turno, a vantagem seria da ex-prefeita Marta Suplicy. Contra a também ex-prefeita Erundina, a peemedebista venceria por 39% a 33% da intenção dos votos. Contra Haddad, a vitória seria por 44% a 24%. Contra Doria, a vantagem está em 48% a 24%.

Erundina, por sua vez, venceria o atual prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, por 42% a 25%. Contra Doria, a vitória seria de 44% a 24%. Em um décimo cenário cogitado, na disputa de segundo turno entre Doria e Haddad, a vitória seria do novato em eleições, por 34% contra 30% de Haddad.

Rejeição

A derrota de Haddad em todos os cenários cogitados para segundo turno reflete o nível de rejeição ao nome do atual prefeito. Segundo o Datafolha, 45% dos entrevistados disseram que não votariam em Haddad de maneira alguma. Feliciano, com 32%, e Marta Suplicy, com 31%, também aparecem entre os mais rejeitados pelos paulistanos.

Na sequência aparecem Erundina (24%), Russomano (22%), Doria (19%) e Matarazzo (14%).