22°
Máx
17°
Min

Sem citar nomes, Haddad pede que juízes tenham 'atitude mais reservada'

Após ter seu nome divulgado entre os de políticos que estão citados na planilha da Odebrecht, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad PT), afirmou nesta segunda-feira, 28, que juízes, magistrados e ministros devem ter uma atitude mais reservada para fazer Justiça. Nesta segunda, o juiz federal Sérgio Moro decidiu enviar ao Supremo Tribunal Federal (STF) a superplanilha com a indicação de pagamentos feitos pela Odebrecht a políticos, encontrada pela força-tarefa da Operação Lava Jato na casa do ex-presidente de Infraestrutura da empreiteira Benedicto Barbosa Silva Junior. Na semana passada, Moro decretou sigilo sobre o documento.

"Tem uma combinação muito perigosa de fazer Justiça com opinião pública. Fazer Justiça tem que ter uma reserva maior. Juízes, magistrados e ministros têm que tomar atitude mais reservada. A Justiça é um poder que preserva as garantias do indivíduo contra o poder repressor do Estado, por isso que o procedimento de reserva é essencial para fazer Justiça. Se isso se perder, vamos perder uma geração de gente séria que poderia se dedicar mais ao País", afirmou o prefeito, durante palestra para estudantes da Faculdade Getúlio Vargas (FGV).

Sem citar nomes, o prefeito disse que há políticos de partidos da oposição com nomes envolvidos em investigações sobre financiamento de campanha e comportamento ético. De acordo com ele, são pessoas "sérias" e "comprometidas com o interesse público". O jornal O Estado de S.Paulo apurou que Haddad se referiu ao governador Geraldo Alckmin (PSDB). Dentre as planilhas com nomes de políticos e anotações encontradas na residência de Benedicto Barbosa, a Polícia Federal encontrou uma anotação que faz referência ao pagamento de 5% do valor de um contrato das obras da rodovia Mogi-Dutra do governo Alckmin em São Paulo, em 2002, para um nome identificado como "santo".

Segundo o prefeito, se as denúncias não forem esclarecidas "preservando o lado bom da política", podem não sobrar lideranças nas novas gerações interessadas em dar continuidade aos projetos políticos do País. "Estou vendo gente que eu reputo da maior seriedade, de outros partidos, que estão hoje com seu nome sendo discutido, sendo no mínimo questionado. Vejo com preocupação porque, se as coisas não se esclarecerem preservando o lado bom da política, temo que a gente não tenha para quem passar o bastão", afirmou.

Em outro momento, o petista disse que o País vive um "drama nacional" e pediu "cuidado" na apuração das denúncias. Ele voltou a manifestar preocupação com nomes de políticos "sérios", de outros partidos além do PT, envolvidos em discussões sobre corrupção. Haddad pediu que o processo de investigação preserve quem mereça e responsabilidade quem eventualmente cometeu alguma irregularidade.

"Muita gente séria de outros partidos, até de oposição ao PT, que já têm seu nome envolvido, questionado, em função de uma anotação, de uma planilha, do diabo que apareça aí... Às vezes de um detrator. É preciso tomar cuidado porque é um momento muito delicado da vida nacional", disse.

Um dos estudantes questionou se Haddad almeja ser governador de São Paulo e declarou voto caso o petista fosse candidato. Outro estudante quis saber como Haddad vai dissociar a imagem do Partido dos Trabalhadores (PT) na campanha municipal deste ano. O prefeito desconversou: "Se eu tenho dificuldade em falar de 2016, que é uma eleição que falta alguns meses, imagina 2018, 2022. Estou com a cabeça em São Paulo".

PMDB

Na véspera da votação que decidirá se o PMDB vai desembarcar do governo Dilma Rousseff, em reunião da executiva marcada para esta terça-feira, 29, Haddad disse que, independentemente do que será acordado no plano federal, a relação da gestão municipal com nomes do PMDB é "proveitosa". Ele lembrou que os vereadores peemedebistas têm apoiado projetos do Executivo, como a Lei de Uso e Ocupação do Solo, que recebeu quatro votos da legenda.

"Estamos conseguindo manter, independentemente do que vai acontecer no plano federal, e até no plano municipal, estamos conseguindo manter uma relação proveitosa. Estamos tendo sucesso no diálogo de bom nível que está acontecendo na Câmara", afirmou.