26°
Máx
19°
Min

Senador tucano defende divulgação integral de conteúdo das delações

O senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) defendeu neste sábado, 4, que o conteúdo das delações premiadas no âmbito da Lava Jato deve ser divulgado na íntegra, para que toda a sociedade tenha conhecimento e os senadores possam decidir sobre o processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff com mais elementos.

"Nada disso me surpreende", comentou ele, a respeito da informação publicada pela revista IstoÉ, segundo a qual Dilma teria dito ao empresário Marcelo Odebrecht que ele deveria pagar os R$ 12 milhões pedidos por Edinho Silva, então tesoureiro de sua campanha à presidência em 2014. Essa informação constaria da delação do empreiteiro.

"A revelação desmascara a tentativa de Dilma Rousseff e seus apoiadores de vitimizá-la", avaliou Ferraço. "Propina para gastos de campanha, para pagar cabeleireiro, é coisa de quem não tem pudor."

Ele não arriscou avaliar, porém, se as novas revelações alterarão as tendências de voto na comissão do impeachment, do qual é integrante. "Mas estou convicto que o retorno dela é um desastre absoluto." As delações não integram formalmente o processo de impeachment, que trata de pedaladas fiscais, mas ajudam a compor o julgamento político que, segundo Ferraço, é dado "pelo conjunto da obra."

O senador comentou ainda que o quadro político vai-se complicando com informações como a dada pelo ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado, que teria negociado e repassado R$ 70 milhões em propinas, sendo R$ 30 milhões para o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), R$ 20 milhões para o senador Romero Jucá (PMDB-RR) e outros R$ 20 milhões para o ex-presidente José Sarney. Essa revelação foi feita pelo jornal O Globo e confirmada pelo jornal O Estado de S. Paulo.