28°
Máx
17°
Min

Sessão quase foi derrubada pelo protesto, mas todos projetos foram votados

(Foto: Divulgação/CMC) - Mesmo com protestos fora, sessão da Câmara segue até o fim
(Foto: Divulgação/CMC)

Mesmo com toda a movimentação na parte externa da Câmara de Vereadores, em que taxistas e motoristas do Uber protestavam, cada grupo defendendo seu posicionamento em relação a presença do aplicativo Uber na cidade, a sessão ordinária da Câmara de Vereadores desta segunda-feira (27), seguiu até o fim. Nos últimos 30 minutos, foram pedidas várias ‘chamadas’, para verificar se a sessão seguiria ou não. Felipe Braga Côrtes (PSD), pediu paciência aos vereadores, para que todos os projetos fossem votados, a segunda parte da ordem do dia fosse lida e aprovada, o grande expediente e, só então, a sessão encerrada.

A regulamentação do tempo de espera para atendimento nas lotéricas foi aprovado em primeiro turno. Também foram aprovados a declaração de utilidade pública à Federação Paranaense de Ciclismo; à Associação Rede Solidária e à Associação dos Moradores e Empresários das Mercês. Também foi aprovada a denominação de Cicero Fernandes a um logradouro público.

Economias

Nesta segunda-feira, a Câmara de Vereadores devolve à Prefeitura, mais de R$ 58 milhões, de recursos do Fundo Especial da Câmara. O total, será de R$ 58.484.049,74, e de acordo com a Prefeitura, será utilizado no pagamento da primeira parcela do 13º Salário dos servidores públicos municipais.

A ‘devolução’ foi decidida pelos vereadores através da Lei 14.870/2016, que extinguiu o FEC, que foi promulgada pela Câmara, uma vez que depois de aprovada em segunda votação, seguiu para sanção da Administração, mas voltou sem resposta, sendo sancionada pelo presidente da Câmara, Ailton Araújo (PSC).