22°
Máx
16°
Min

Tesouro propôs carência de 24 meses para dívida, mas com novos porcentuais

O governador do Estado de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), disse nesta segunda-feira, 20, que a secretária do Tesouro Nacional, Ana Paula Vescovi, apresentou aos governadores uma proposta de carência de 24 meses para o pagamento da dívida dos Estados, mas com um escalonamento diferente da proposta anterior, apresentada pelo Ministério da Fazenda.

Segundo ele, a moratória começaria com a suspensão de 100% do pagamento da dívida no primeiro mês e se reduziria gradativamente 10 pontos porcentuais a cada bimestre até chegar a 40% em julho de 2017.

A partir daí até dezembro de 2017, o porcentual do pagamento ficaria congelado em 40% do total da dívida. Em 2018, o escalonamento voltaria a ocorrer na proporção de 10 pontos porcentuais a cada bimestre até zerar o período da moratória.

Perillo disse que os governadores, que por volta das 14h se reúnem com Henrique Meirelles no Ministério da Fazenda, ainda vão discutir a proposta nesse encontro com o ministro antes de se encontrarem com o presidente em exercício, Michel Temer. O governador disse acreditar que a discussão sobre a renegociação das dívidas, que se estende há meses, será fechada hoje com o governo federal.

Marconi Perillo afirmou que os governadores vão insistir com Meirelles que precisam de um prazo maior da suspensão de 100% da dívida para pôr as contas dos Estados em dia. Eles vão tentar convencer o ministro dessa necessidade.

A ala política do governo Temer, no entanto, já sinalizou neste domingo, 19, como informou o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, que pode dar uma carência de 100% do pagamento por 10 meses.