22°
Máx
16°
Min

TSE contraria Perillo e autoriza envio de Forças Armadas para Itumbiara

Contrariando o governo de Goiás, o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Henrique Neves autorizou nesta sexta-feira, 30, o envio de tropas das Forças Armadas para o município de Itumbiara (GO). O governador Marconi Perillo (PSDB) havia se manifestado contra o reforço de segurança, concluindo haver "desnecessidade de convocação da Força Nacional ou de tropas federais", já que as forças de segurança já mobilizadas seriam suficientes para atender à população.

Na quarta-feira, 28, o candidato à prefeitura de Itumbiara, José Gomes da Rocha, foi morto e o vice-governador de Goiás, José Eliton, foi baleado durante um ato de campanha. O episódio foi classificado como "chocante" e "deplorável" pelo presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes.

O pedido pelo reforço de segurança em Itumbiara foi feito por juízes eleitorais do município, que alegaram que a morte de José Gomes da Rocha "deixou a população consternada e insegura", além de gerar "uma grande comoção e certa animosidade política, deixando a população extremamente insegura, a ponto de causar receio de comparecimento às urnas".

Os juízes eleitorais também citaram que houve a solicitação de dispensa do serviço eleitoral de alguns mesários convocados para atuarem como membros de mesas receptoras de votos.

Gravidade

Em seu despacho, o ministro Henrique Neves concorda com a avaliação feita pelo Tribunal Regional Eleitoral de Goiás de que "a gravidade do fato em análise, aliado ao calor das eleições, causou comoção pública que demanda cautela do Poder Público para que a situação não se degenere para um clima de insegurança coletiva".

"Recomenda-se, portanto, que as forças federais atuem na localidade, proporcionando reforço de segurança e assegurando a normalidade do pleito", concluiu Henrique Neves.

O município de Itumbiara conta com 67 mil eleitores, que deverão comparecer neste domingo, 2, a 31 locais de votação.