22°
Máx
17°
Min

Última sessão antes das eleições é marcada por prestação de contas na Câmara

(Foto: Divulgação) - Sessão da Câmara foi de prestação de contas
(Foto: Divulgação)

A sessão da Câmara de Vereadores de Curitiba foi destinada a prestação de contas da Casa, referentes ao segundo quadrimestre. Mas, antes do início das explanações da diretora de administração e finanças, Aline Bogo, um dos vereadores usou a tribuna no pequeno expediente, para criticar e demonstrar descontentamento com a decisão do Supremo tribunal Federal (STF), que barrou o feriado municipal do Dia da Consciência Negra. “A ação da Associação Comercial do Paraná (ACP) foi o maior ato racista e preconceituoso contra a comunidade negra e afrodescendente de Curitiba”, afirmou o vereador. “Cotas jamais vão ressarcir todo o sofrimento do negro. O dia 20 de novembro não era para der festa, e sim reflexão”.

Iniciada então a prestação de contas, Aline destacou que do orçamento de R$ 140 milhões da Câmara, cerca de R$ 70,8 milhões em despesas foram liquidados até o fim do 2º quadrimestre.

No mesmo período, foram gastos R$ 18,2 milhões com salários de servidores efetivos e R$ 4,3 milhões com subsídios de vereadores e ouvidor. Também foi apresentada a planilha de gastos com diárias, que chegou a R$ 23 mil. A Prefeitura de Curitiba também prestou contas e destacou que R$ 4,5 bilhões em despesas correntes foram empenhadas. Também foi divulgado que foram empenhados R$ 1 bilhão em despesas de saúde, educação e habitação.

Após as apresentações, foi aberta a possibilidade de perguntas. Um dos vereadores cobrou a representante da Prefeitura um pedido de resposta protocolado pela Comissão de Economia e Finanças há um ano. “Vamos fazer uma festa para celebrar a data, já que um ano se passou e não recebemos nenhuma resposta”. Outro vereador pediu uma listagem dos cinco maiores credores da Prefeitura e também os valores de arrecadação do último Refic. Com o tempo regimental esgotado, a audiência foi encerrada.