22°
Máx
14°
Min

Vão superestimar o rombo, diz Dilma

(Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR) - Vão superestimar o rombo, diz Dilma
(Foto: Roberto Stuckert Filho/ PR)

No dia em que o governo do presidente em exercício Michel Temer anunciou que o rombo nas contas públicas pode chegar a R$ 170 bilhões neste ano, a presidente afastada Dilma Rousseff acusou a equipe do peemedebista de superestimar os números ruins da economia.

"Agora, para justificar todas as suas políticas, vão começar a dizer que tem um imenso rombo no governo, vão superestimar o rombo", afirmou. Para Dilma, o grupo que articulou o que chama de "golpe" trabalhou para impedir medidas que melhorariam a economia com o objetivo dar força ao impeachment. "O Congresso não funciona desde o início do ano", disse. "Não houve uma única medida aprovada".

No primeiro evento público que participa desde que deixou o comando do Palácio do Planalto, a presidente Dilma afirmou em Belo Horizonte que as primeiras medidas do governo de Temer mostram retrocesso. "É um ministério de homens velhos, ricos e brancos, sem negros e sem mulheres", disse, antes de criticar a extinção do Ministério da Cultura. Ela classificou a decisão como "um ato de extrema violência".

As afirmações foram feitas no 5º Encontro Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais, que foi dominado por falas em defesa da petista. O evento é realizado a cada dois anos e tem o tema "Menos Ódio, Mais Democracia". O foco do debate, segundo a organização, é "a defesa da democracia e a luta contra o golpismo midiático".

A ida a Belo Horizonte é parte da estratégia de Dilma viajar pelo País enquanto estiver afastada para defender o seu mandato e criticar o processo de impeachment, com o argumento de que é um golpe. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que havia confirmado presença, não compareceu. A petista estava acompanhada do deputado federal e ex-ministro de Desenvolvimento Social, Patrus Ananias.

Na chegada ao hotel do evento, no centro de Belo Horizonte, Dilma foi recebida por uma grande manifestação de apoiadores, que fecharam uma das principais avenidas da capital mineira. Organizadores divergiram na estimativa de público entre 10 mil e 50 mil pessoas.

Patrocínio

Ontem, o presidente em exercício Michel Temer determinou a suspensão do pagamento de patrocínio da Caixa Econômica Federal ao evento com blogueiros ligados ao governo Dilma. A previsão era de que a Caixa destinasse cerca de R$ 100 mil ao evento.

A organização do encontro disse que não foi notificada pela Caixa e explicou que o patrocínio está relacionado com a campanha contra o Zika vírus. Em seguida, no início do seminário, foi exibido um vídeo de menos de um minuto sobre o combate ao Aedes Aegypti.

A previsão era que o pagamento fosse feito após o fim do evento, que termina no domingo. Apesar de afirmar que o fato não compromete a realização do encontro, o membro da Comissão Nacional de Blogueiros e Ativistas Digitais Altamiro Borges disse que um processo contra o banco será aberto no caso de não pagamento, por quebra de contrato. Ele afirmou que o evento foi reduzido por dificuldades financeiras.

Nos meses anteriores ao ato, uma "vaquinha virtual" foi organizada para tentar levantar fundos para custear passagens de ônibus e alimentação do participantes. A meta era atingir R$ 50 mil, mas o total após o fim da campanha ficou em R$ 8,7 mil. Outras entidades, como centrais sindicais e federações de trabalhadores, ajudaram a bancar o ato.