26°
Máx
19°
Min

Vereadores aprovam álcool gel nos bancos e moção de repúdio ao ‘Pornô Gospel’

(Foto: Divulgação/Câmara de Vereadores de Curitiba) - Vereadores aprovam álcool gel nos bancos e moção de repúdio ao ‘Pornô Gospel’
(Foto: Divulgação/Câmara de Vereadores de Curitiba)

O projeto de lei de autoria do vereador Tiago Gevert (PSC), que requer a obrigatoriedade da disponibilização de álcool gel em agências bancárias, para uso dos clientes, foi aprovado por unanimidade na manhã desta terça-feira (7), na sessão ordinária da Câmara de Vereadores.

O autor do projeto, defendeu a iniciativa, perguntando a seus pares se todos estavam realmente com as mãos limpas. Ele enfatizou que a falta de higiene gera por ano, prejuízo aos cofres públicos na ordem de US$ 12 bilhões, que precisam ser usados em cuidados a pessoas doentes. O projeto volta para segundo turno na sessão de quarta-feira (8).

Outros seis projetos foram discutidos. O que torna de utilidade pública a Associação Paranaense dos Artistas Sertanejos e Amigos, foi adiado por 15 sessões; a permuta de um imóvel entre a Prefeitura e a Rede Nissei foi aprovada e também retorna para segunda votação amanhã; na sequência, foi discutida a alteração do Regimento Interno da Câmara e que passa a permitir a votação de emendas em blocos. Com pedido de adiamento aprovado, o projeto retorna a pauta na segunda-feira (13); o último projeto da pauta, que denomina bem público de Antônio Gazola, também foi aprovado.

Segunda parte

Na segunda parte da ordem do dia, a peça teatral Pornô Gospel foi alvo dos vereadores. A moção de repúdio, assinada por 16 vereadores, foi defendida por Tiago Gevert. “A tal peça viola a honra de todos os cristãos”, afirmou.

A vereadora Professora Josete (PT), por sua vez, disse que aprovar uma moção nesta ordem, seria inútil. “É um espetáculo que não é promovido com dinheiro público, não está sendo realizado em local público, tem classificação indicativa para maiores de idade”, disse. “Não vejo motivo para entrar nesta questão, isso é censura”.

No fim, por 17 votos sim, 11 não e, 1 abstenção, a moção foi aprovada.