26°
Máx
19°
Min

Vereadores de Lobato sobem salário em 25% e vão receber 'merreca' de R$ 4 mil

A uma semana das eleições, os vereadores de Lobato, cidade de aproximadamente 4,4 mil habitantes, aprovaram o reajuste dos próprios salários em 25%, em duas sessões realizadas no mesmo dia. Passado o pleito, nessa segunda-feira (17), os moradores foram protestar contra o aumento na Câmara Municipal.

Uma das manifestantes foi a aposentada Maria de Fátima “É muito para o que eles fazem de vir aqui só um dia de segunda-feira, não faz mais nada”, declarou. Em uma votação unânime, os salários subiram para R$ 4,2 mil aproximadamente, R$ 4,9 mil para o presidente da Casa.

A indignação também foi retratada pela professora Maria, que trabalhou por 30 anos no magistério. “Eu acho isso um absurdo porque vereador não é profissão. Além do mais, não estudou pra isso”, disse.

Questionados pelos moradores, que defendem que o aumento foi aprovado na surdina, os legisladores tentaram se defendem, mas não foram muito bem. O presidente da Câmara, Givaldo Cordeiro Ribeiro (PSDB) argumentou que é preciso um bom salário para que os parlamentares não partam para a corrupção.

“O vereador tem que ser bem remunerado para ele não se corromper. Por aqui existe uma divisão e existem muitas propostas quando existe uma divisão aqui dentro”, afirmou.

Já o parlamentar José Alves (PMDB) foi ainda mais longe. “R$ 4 mil é merreca. Por que? Porque teria que receber mais, nada menos que R$ 6 mil, pelo índice de recursos que o município retém”, declarou.

A postura dos vereadores parece não ter agradado a população, já que apenas dois deles foram reeleitos – Givaldo Cordeiro Ribeiro e Aparecido Fialho de Carvalho (PR).

Colaboração Geovan Petry e Marcos Luvizeto da Rede Massa