22°
Máx
16°
Min

Votação do STF validou ações do Congresso em relação ao impeachment, diz Rosso

O presidente da Comissão do Impeachment na Câmara dos Deputados, Rogério Rosso (PSD-DF), disse, na manhã desta sexta-feira, 15, em entrevista à Rádio Estadão, que o País vive "felizmente" em um Estado democrático de direito e que o Supremo Tribunal Federal (STF) foi soberano na votação, classificada por ele de história.

A decisão validou todas as ações do parlamento no tocante ao processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), segundo ele. "Portanto, hoje começamos as discussões e no domingo, 17, teremos a votação (em plenário)", reiterou.

Rosso disse que, apesar dos "ânimos acirrados e nervos à flor da pele" que tomam conta não apenas do parlamento, mas também de todo o País, espera que a serenidade impere neste final de semana, onde a autorização para a abertura do processo de impeachment de Dilma será levada ao plenário da Câmara, para votação.

Devemos mostrar respeito ao povo brasileiro", destacou, afirmando que a Câmara precisa "virar essa página" e enfrentar a questão do impeachment, porque está parada nessa questão e precisa voltar a legislar.

Ao falar do clima acirrado, o presidente da Comissão do Impeachment comparou o ambiente que antecede a votação a um jogo de futebol e disse que o clima de grande instabilidade política e de manifestações em todo o País se reflete no parlamento, mas é preciso prevalecer a educação, o respeito e a serenidade.

Rosso acredita que este será o clima no Congresso Nacional. "Espero que tudo dê certo em prol da sociedade brasileira", disse, complementando que a sociedade não aguenta mais um parlamento onde uns xingam os outros.

Placar

O parlamentar falou a respeito do placar do impeachment, publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, que confirma o número de votos suficientes para o afastamento da presidente Dilma Rousseff, dizendo que sua avaliação para a votação deste domingo é de um placar apertado, mas favorável ao impeachment.

"A percepção que temos é que somados os que já se decidiram e os contra, há poucos indecisos, acho que vai ser um placar apertado, mas percebe-se que os deputados favoráveis ao impeachment estão mais evidenciados."

Como líder da bancada do PSD na Câmara, Rosso confirmou que a maioria ampla da sigla é favorável ao impeachment de Dilma. Segundo ele, do total de deputados da sigla (36), pelo menos 2/3 se posicionaram a favor do impedimento, mas a decisão é respeitar os posicionamentos contrários.

"Já definimos que a bancada vai encaminhar favorável (ao impedimento), mas vai respeitar os posicionamentos divergentes, respeitando o histórico de cada parlamentar."