22°
Máx
16°
Min

Votação na Câmara será acompanhada em bares e praças de Cuiabá

Manifestantes pró e contra o impedimento da presidenta Dilma Rousseff começam a se reunir daqui a pouco em praças e bares de Cuiabá para acompanhar, em grupos, a votação na Câmara dos Deputados.

Os movimentos sociais, sindicais e estudantis que compõem a Frente Brasil Popular em Mato Grosso contra o impedimento da presidente Dilma Rousseff se reúnem a partir das 9 horas, na sede da Central Única dos Trabalhadores (CUT), para a "Vigília Ecumênica pela Paz e pela Democracia".

Já os movimentos Vem pra Rua, Muda Brasil, Avança Brasil e Movimento pela Ordem, contrários à permanência da presidente, acompanharão a votação na Praça Oito de Abril, repetindo o cenário de outras manifestações realizadas em Cuiabá, com carros de som, desta vez com um telão de LED. Um locutor fará a animação. A concentração começa a partir das 13 horas.

Caravanas

Desde sexta-feira, saíram de Cuiabá diversas caravanas rumo à Brasilia. A Frente Brasil Popular seguiu em três ônibus. Já os favoráveis ao impeachment receberam apoio da Federação da Agricultura de Mato Grosso (Famato) e seguiram em 15 ônibus, dois de Cuiabá e o restante do interior do estado. O vice governador e presidente estadual do PSD, Carlos Fávaro, seguiu em avião para a acompanhar a votação em Brasília.

O comando geral da Policia Militar montou esquema especial para assegurar tranquilidade nos locais onde haverá aglomeração de pessoas acompanhando a votação.

Minas

Em Belo Horizonte, grupos pró e contra o impeachment farão atos antes e durante a votação. Os favoráveis à presidente começam a se reunir às 10h na Praça Raul Soares, região central da capital mineira. Grupos contra o governo marcaram o início do protesto para as 13h na Praça da Liberdade, região sul da cidade.

Os apoiadores de Dilma sairão em passeata até a Praça da Estação, também no centro da cidade, de onde acompanharão a votação na câmara em telões que serão colocado no local. Haverá apresentação de cantores de rap e samba. Na Praça da Liberdade também haverá instalação de telões para que os manifestantes possam acompanhar a votação em Brasília. A distância entre as duas praças é de dois quilômetros.

Na sexta-feira, integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, que apoiam o governo Dilma Rousseff, fecharam o trânsito em pelo menos três estradas federais que cortam o estado: BR 050, BR 262, ambas no Triângulo Mineiro, e BR 116, ao leste do estado. Pneus foram queimados. A BR 262, em trecho próximo a Uberaba, ficou fechada por mais de uma hora.