21°
Máx
17°
Min

Brasileiros e austríacos discutem tecnologias do biogás

Foto: Assessoria de imprensa - Brasileiros e austríacos discutem tecnologias do biogás
Foto: Assessoria de imprensa

Com o objetivo de discutir soluções para o uso dos combustíveis biogás e biometano - produzidos por meio de dejetos de animais e resíduos da agricultura - ocorre até quinta-feira (5), no Parque Tecnológico Itaipu, em Foz do Iguaçu, o evento “Promovendo o Uso do Biogás e do Biometano no Brasil”.

O encontro é apoiado pela Itaipu Binacional e organizado pelo CIBiogás (Centro Internacional de Energias Renováveis-Biogás), a empresa austríaca Spirit Design e a Agência de Desenvolvimento Austríaca (ADA).

“Já existe uma forte parceria entre Brasil e Áustria para o compartilhamento de tecnologias para a geração desse tipo de energia limpa. Essa troca de experiências faz com que encontremos caminhos mais ágeis para o desenvolvimento do biogás”, afirma o diretor-presidente do CIBiogás, Rodrigo Regis de Almeida Galvão.

Representantes da Embrapa, de importantes universidades e empresas austríacas, da Associação Brasileira de Biogás e Biometano (Abiogás), da FINEP, do Ministério da Ciência Tecnologia e Informação (MCTI) e do próprio CIBiogás farão parte dos palestrantes do encontro.

Entre os temas tratados estão: inovações e uso do biogás e biometano, marcos regulatórios e potencial dessa energia.

O diretor geral brasileiro de Itaipu, Jorge Samek, que esteve presente na abertura do encontro, reafirmou a importância econômica e ambiental da implantação do biogás e o papel do Brasil e do Oeste do Paraná nesse protagonismo.

“Conversei essa semana com líderes de importantes instituições do nosso estado e a pauta foi o biogás e suas possibilidades. Esse é um assunto que está entre as prioridades de nosso país e de Itaipu”, diz.

Os participantes do encontro ainda participarão de uma visita técnica à Granja Haacke, em Santa Helena (PR), onde é produzido o biometano que abastece parte da frota de Itaipu.

Troca de experiência Brasil e Áustria

A Áustria e o Brasil vêm desenvolvendo projetos em cooperação há alguns anos. 

"Essa parceria deve ser bastante respeitosa. O Brasil não é um trem que está cinco estações atrás da Áustria. É outro trem, com outras características, que percorre trilhos diferentes. Por isso, o que estamos conversando nesse evento é que não precisamos exportar tecnologias do biogás, mas sim adaptá-las, criando soluções específicas para a realidade brasileira”, finalizou o presidente da Associação Brasileira de Biogás e Biometano (Abiogás), Cicero Bley.

Colaboração: Assessoria de imprensa