22°
Máx
16°
Min

Polícia Civil realiza primeira audiência por videoconferência

Foto: Polícia Civil - Polícia Civil realiza primeira audiência por videoconferência
Foto: Polícia Civil

O depoimento da dona de um carro furtado em maio deste ano marcou um importante avanço nos trabalhos da Polícia Civil do Paraná. No início da tarde desta quarta-feira (3), foi realizada a primeira audiência por videoconferência da Polícia Civil do Paraná.

Na sede da 15ª Subdivisão da Polícia Civil de Cascavel, a proprietária do automóvel prestou depoimento ao delegado Wagner Holtz, chefe da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Curitiba, que estava na sede do Departamento da Polícia Civil, no Centro da capital do estado.

Através da videoconferência, a dona do veículo deu detalhes do furto para ajudar na elucidação do inquérito, que tramita em Curitiba porque o carro foi apreendido na capital. Tanto na sede da Polícia Civil de Cascavel quanto no Departamento da instituição foram instalados dois “endpoints” (pontos de videoconferência).

MODERNIZAÇÃO 

“É um momento importante porque a Polícia Civil está se modernizando, trazendo novos equipamentos, aplicando tecnologias no trabalho policial, trazendo mais efetividade e economia não medindo esforços para prestar o melhor serviço pra comunidade”, avaliou o secretário da Segurança Pública e Administração Penitenciária, Wagner Mesquita, que acompanhou a audiência.

“É sem dúvida um dia histórico para a Polícia Civil do Paraná, quando a gente começa a implementar o uso de uma ferramenta tecnológica que vai dar celeridade às investigações, efetividade e mais do que isso, qualidade à prova, as oitivas de testemunhas, interrogatório de investigados, além de otimizar o uso dos nossos recursos humanos”, complementou o secretário.

TODAS AS COMARCAS 

Cada aparelho de videoconferência custa, em média, R$ 8 mil e a intenção do delegado-geral da Polícia Civil, Julio Reis, é que este equipamento seja instalado em todas as comarcas do Estado. “Já demos início ao processo de licitação para a compra de mais de 100 aparelhos de videoconferência”, disse Reis, que elogiou a eficiência e qualidade do equipamento. “Além da agilidade nas investigações, os delegados não terão mais de se deslocar ou encaminhar carta precatória. Agora eles poderão inquirir testemunhas, por exemplo, por videoconferência”, destacou o delegado-geral.

“A Corregedoria já regulamentou o procedimento. Estamos sendo a primeira Polícia Civil do Brasil a fazer audiências a distância”, acrescentou Reis.

CONVÊNIO

O “endpoint” instalado na sede da delegacia de Cascavel foi adquirido por meio de um convênio com o Ministério Público do Trabalho. “Temos que agradecer esta iniciativa e eu, como o secretário, tenho o compromisso de aportar recursos para que possamos replicar esta tecnologia para outras delegacias do Paraná, para que esta eficiência esteja a disposição de todos os delegados”, completou Mesquita.

Ao final do depoimento, que marcou o início dos trabalhos de audiência por videoconferência, a juíza Filomar Helena Perosa Carezia, da 1ª Vara Criminal de Cascavel, e o promotor da cidade, Alex Fadel, elogiaram a iniciativa da Polícia Civil de iniciar as audiências por videoconferência. 

A magistrada ressaltou a celeridade no processo investigatório e a maior segurança com os depoimentos gravados – citando casos em que o depoente muda a versão negando o que havia dito ao delegado de polícia.

Colaboração: AEN