24°
Máx
17°
Min

Educador financeiro orienta o planejamento de uma viagem

(Foto: Divulgação) - Conheça 8 dicas para planejar a viagem dos sonhos
(Foto: Divulgação)

O período de férias desperta o desejo de viajar nos brasileiros, mesmo em um momento de recessão econômica. A pretensão de 64% da população é viajar nos próximos meses, e 66% destas pessoas afirma que pretende diminuir os custos dos passeios, de acordo com pesquisa da Ipsos a pedido da Europ Assistance. Mas como fazer uma boa viagem sem comprometer as finanças ou estourar o orçamento?

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, uma viagem é como um sonho a ser realizado em curto ou médio prazo. “Para conquistar esse sonho, é necessário saber quanto ele custa. Pesquise preços em vários locais, em lojas físicas e online, e orce os custos que terá. Em seguida, olhe para a sua situação financeira e elimine desperdícios, na intenção de poupar para essa viagem. Não é preciso se endividar, muito menos pagar parcelas por vários meses, para viajar nas férias”, orienta.

É importante considerar que cada destino possui suas particularidades, o que influencia no valor gasto. “Antes de imaginar que viajar para determinado lugar é caro demais ou muito barato, pesquise. Com a mudança das estações do ano, os preços podem mudar significativamente. É válido também pensar em pacotes, pois com eles é possível conhecer mais de uma cidade ou país pagando um bom preço”, orienta Domingos.

O presidente da Abefin alerta quanto aos perigos dos gastos por impulso. “Para não trazer dívidas da viagem, é importante se manter no planejamento. Sugiro a leva de no máximo dois cartões de créditos, com vencimentos próximos, para que as finanças não sejam comprometidas nos meses após a viagem”. Além disso, é aconselhável contratar um seguro que garanta assistência caso seja necessário um tratamento médico ou sofra algum imprevisto durante o passeio.

Conheça 8 orientações para planejar a viagem dos sonhos com educação financeira

  1. Reúna todos os envolvidos, inclusive as crianças, para conversar sobre a viagem e para que todos falem sobre seus sonhos. Afinal, por que não realizar a “viagem dos sonhos”? A diferença entre ela e uma viagem qualquer está apenas no tempo preciso para poupar a quantia necessária para realizar.
  2. Orce os custos da viagem dos sonhos fazendo pesquisas online e pegando dicas com quem já foi ao destino escolhido. Considere os gastos desde com passagens e hospedagem até com guloseimas e lembrancinhas, incluindo um valor extra para imprevistos. Ciente da despesa total aproximada, defina quanto será necessário poupar por mês.
  3. É importante que todos os envolvidos passem a reduzir gastos – cada um a sua maneira – para reverter o valor economizado para a poupança da viagem. Crianças, por exemplo, podem passar a economizar energia elétrica e água em casa. Aos adultos é indicada a feitura de um diagnóstico financeiro, observando seus gastos durante 30 dias, na intenção é reduzir ou eliminar despesas favorecendo a poupança do sonho.
  4. Caso utilize cartões de crédito em seu cotidiano, com consciência e educação financeira, pode ser uma vantagem participar de programas de acúmulo de milhas. Por meio deles, valores gastos são revertidos em milhas que podem ser trocadas por passagens áreas e outros benefícios. Porém, é importante observar que as milhas têm prazo de validade e podem expirar antes da data da viagem, além do acréscimo na taxa anual por utilizar esse recurso.
  5. Ao comprar os itens relativos à viagem, pesquise em no mínimo três empresas diferentes e procure por pacotes com boas condições de pagamento. Caso tenha milhas no cartão de crédito, utilize. Procure não fugir do planejamento ou ultrapassar os limites de sua condição financeira, pois o endividamento tende a comprometer a força de pagamento no futuro e pode levar à inadimplência.
  6. Na viagem, leve cartões de crédito e dinheiro em espécie como reservas para imprevistos. Considere, entretanto, que ao utilizar cartão de crédito no exterior há a conversão da moeda e a cobrança do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). É interessante que os vencimentos dos cartões sejam próximos e posteriores à data da viagem.
  7. Indo ao exterior, procure levar 80% do valor total reservado em um cartão pré-pago e os 20% restantes em espécie. Procure se manter no planejamento e não gastar mais do que o orçado. Caso extrapole em alguma refeição ou passeio, economize na próxima. Caso não alugue um carro, procure por restaurantes que buscam e levam seus clientes no hotel.
  8. Em viagens em território nacional, tenha em mente que muitos estabelecimentos dão descontos para turistas “fidelizados”, que utilizam os produtos ou serviços e voltam no dia ou semana seguinte. Algumas das vantagens são descontos ou sobremesas grátis. Em cidades muito procuradas nas férias, os preços tendem a ser mais altos, portanto é válido buscar online ou com conhecidos dicas sobre estabelecimentos.

Colaboração Assessoria de Imprensa