21°
Máx
17°
Min

O Sul deMinas aposta em “experiências” para seduzir turistas

Rota do Café Especial e Circuito das Águas

Nunca a palavra “experiência” esteve tão em alta entre pessoas e empresas. Isso não no sentido de tempo de trabalho ou acúmulo do mesmo, mas sim de como você passa esse tempo, de como você o vivencia.

Assim, principalmente em “períodos de crise” ou escassez de clientes, as marcas e empresas tem procurado oferecer algo a mais, algo diferenciado, exclusivo e único. É aí que entra o quesito “experiência”que pode ser emocional, sensorial.

Nesse sentido, Carmo de Minas, no sul de Minas Gerais (distante 350 km da cidade de São Paulo), tem acertado em cheio: a região sabe muito bem como proporcionar uma fantástica experiência ao turista. 

Rota do café especial

O Brasil é o maior produtor de café do mundo, e o segundo maior consumidor. É responsável por mais de 30% de toda a produção mundial. 

Mesmo em um cenário econômico desafiador, o consumo do café no Brasil mostrou acréscimo de 0,86% em 2015, frente ao ano anterior, representando 20,5 milhões de sacas produzidas. A relação per capita também passou de 4,90 kg por habitante/ano para 6,12 kg e a expectativa de 51% das indústrias da ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café) é que o volume de vendas continue aumentando nesse ano.

Minas Gerais é um verdadeiro pólo cafeeiro: tem 130 fazendas das 2 mil espalhadas pelo Brasil. E é na nessa região que tem uma cidade chamada Carmo de Minas: produtora do grão bourbon amarelo, da espécie arábica. É lá também que tem o melhor grão de café do mundo.

Sim, o café produzido na fazenda Sertão (uma das maiores da região e a sede da fazenda funciona inclusive como um museu) ganhou em 2005 o Cup of Excellence, com a maior pontuação da história: 95,85 de 100! Para ter uma ideia do que isso significa, a partir de 80 pontos o café já é considerado especial. Nenhuma fazenda no mundo, nenhum grão do mundo, conseguiu chegar à marca de 95! A saca de 60kg, produzida na lavoura centenária, foi vendida a 6,5 mil dólares!

Apenas 10% da produção em todo o mundo pode ser considerada especial: é aí que separamos quem gosta da cafeína para “acordar” dos que tem no café um verdadeiro prazer gastronômico. 

E é pensando nesse segundo grupo que a Rota do Café foi elaborada. Ela leva o visitante pelas lavouras cafeeiras e dá uma verdadeira aula sobre a cadeia produtiva: desde o plantio até a xícara. 

Assim que se chega às fazendas, o visitante é recebido com uma grande simpatia e fartura. É possível conhecer o ciclo completo do café, ter a experiência de fazer uma colheita do grão (feita manualmente) e provar o fruto direto do pé: delicioso e adocicado. É possível também visitar o terreiro, onde uma máquina lava todos os grãos e já faz uma pré-seleção de cada tipo, e participar de uma degustação de diversos tipos da bebida na Carmo Coffees (exportadora dos grãos e pioneira na promoção e divulgação dos cafés especiais dessa região). O processo é todo guiado,  com direito a um delicioso café com quitutes mineiros no final (R$ 800,00 para grupo de até 14 pessoas ou R$ 80 individual).

Passeio de balão

Se tiver sorte de pegar um tempo limpo e sem vento, o passeio de balão é uma atração à parte para quem quer incrementar a viagem pelos caminhos do café.

Em São Lourenço há três balões para passageiros realizarem voos panorâmicos. Para embarcar, basta ter disposição, acordar bem cedinho e deixar o medo em terra. Durante o passeio, que tem aproximadamente uma hora de duração, é possível ver do alto pés de café, banana e eucalipto plantados em terrenos montanhosos. Para quem busca experiências únicas, vale investir os R$ 400 cobrados por cada passageiro - um cesto leva, em média, oito pessoas. 

Tipo exportação

Essa região fornece grãos para a Nespresso, que compra os cafés por meio das traders - empresas responsáveis por selecionar os grãos de acordo com os padrões da empresa suíça. As traders recebem das fazendas produtoras amostras de cada lote já ensacado. São realizados testes de medição de teor de umidade, análise sensorial e visual. No caso do bourbon amarelo só os grãos grandes, amarelinhos e sem manchas são selecionados, o que significa 2% da produção local.

Quando aprovadas, as sacas são enviadas de navio até a Europa, onde passam por nova análise na chegada, uma vez que os grãos podem ter a umidade e os odores alterados durante o trajeto. De cada saca é retirada uma amostra para ser torrada e degustada. Após completar a saga, os grãos que compõem o blend passam pela torrefação e moagem e são, finalmente, embalados em uma cápsula de alumínio, hermeticamente fechada, que preserva por um ano os mesmos aromas e sabores de um café recém-moído.

O começo

Como tudo na vida, alguém teve que ser o pioneiro para transformar a região em produtora de cafés especiais. Jacques Pereira Carneiro, diretor da Carmo Coffees, que hoje exporta grande parte dos grãos produzidos em Carmo de Minas, foi um dos pioneiros. Há mais de 10 anos ele percebeu a alta qualidade do Terroir brasileiro na região, que poderia garantir uma nova perspectiva no plantio, atraindo empresas exigentes, como a Nespresso, que o convidou a participar dessa imersão. Quando decidiu investir, certamente não foi fácil convencer os produtores, que há anos plantavam de um jeito, e agora teriam que mudar: produzir menos, com mais qualidade, e ganhar mais. O primeiro embate e o mais difícil Jacques conta que foi com seu pai. Afinal, há quatro gerações o café era plantado da mesma forma. Mas hoje essa mudança de pensamento trouxe uma nova realidade para a região. 

Desde 2011, o programa Nespresso AAA Sustainable Quality, que soma ações de qualidade, sustentabilidade e produtividade nas fazendas em Carmo de Minas, oferece formação necessária para os fazendeiros que buscam aperfeiçoar sua produtividade. O produtor recebe instrução para aprimorar sua lavoura e melhorar a qualidade do seu café. O resultado disso? De 30% a 40% a mais no valor de venda da saca.

Circuito das Águas

Esse pedaço do sul de Minas há anos também é conhecido pelas fontes hidrominerais. O Circuito das Águas integra 10 municípios, sendo São Lourenço e Caxambu as cidades pólo. Além do poder medicinal de suas águas, do clima e das opções de passeios, essas cidades são famosas por serem muito acolhedoras e agradáveis. Elas constituem destinos certos para os turistas em busca de alternativas para melhorar ou manter a saúde e para aqueles que almejam livrar-se do estresse e desejam tranqüilidade e relaxamento.

As fontes de água provêm da Serra da Mantiqueira, que, preservando boa parte da Mata Atlântica de Minas, privilegia esses municípios com belíssimas paisagens. A ação humana também contribuiu para compor esses bonitos cenários, com a construção de belas praças, parques e fontes.

São Lourenço (pertinho de Carmo de Minas) é considerada uma das principais estâncias hidrominerais do país, reconhecida pelo valor medicinal de suas águas cristalinas e é lá que fica uma das grandes atrações do Circuito: o Parque das Águas, que recebe em média 512 mil turistas por ano. Ele concentra nove fontes de águas minerais, entre elas a Fonte Oriente, onde se origina a água pura, cristalina e naturalmente gasosa. Isso mesmo: uma fonte natural gaseificada! Além do sabor agradável, sua água é indicada para distúrbios renais, digestivos e certos tipos de intoxicação. A água é engarrafada desde 1890.

O Parque reúne diversas atrações naturais como o Balneário em estilo clássico que oferece banhos e massagens terapêuticas. Esse Centro Hidroterápico é repleto de terapias, com técnicas do termalismo clássico e moderno. Dispõem de banhos em ofurôs ou banheiras (entre R$ 25 e R$ 45) com água sulfurosa, massagens relaxantes e terapêuticas, sauna seca e a vapor, ducha escocesa, reflexologia, shiatsu, pedras quentes, entre outros tratamentos.

Hoje, a atividade turística permeia a região. Quase todas as cidades do Circuito das Águas oferecem infraestrutura turística. Em geral, os atrativos, além das águas, constituem-se de casarões históricos, parques, termas e praças. E vale a pena, durante a visita explorar as delícias da culinária, o artesanato e os recantos que compõem a beleza paisagística dos arredores.

Em São Lourenço dá para passear de charrete na região. O passeio custa 40 reais por pessoa e passa por diversos pontos turísticos como cinema, shopping, teleférico, laticínio (para comprar os produtos deliciosos direto da fábrica), outlet, entre outros. Há também o passeio de trem (R$ 10) e a possibilidade de passeio de avião (R$ 70 por pessoa),que leva até 3 pessoas e sobrevoa a região por 10 minutos

Serviço

Rota do café  www.rotadocafeespecial.com.br

Carmo Coffees  www.carmocoffees.com.br

Balão  flatbalonismo.com.br / contato@flatbalonismo.com.br

Charrete Ademir  (35 988724183)

Circuito das Águas www.visiteminasgerais.com.br/mg/circuito-das-aguas 

Parque das Águas www.nestle.com.br/portalnestle/parquedasaguas

 

Dicas

Hospedagem

Hotel Carmen Palace (São Lourenço)  www.carmenpalacehotel.com.br


Gastronomia   

Empório Gastronômico  www.egastronomico.com.br

Unique Cafés  www.uniquecafes.com.br

A jornalista viajou a convite da Nespresso