Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Queda no valor bruto da produção no Paraná

O Ministério da Agricultura divulgou os dados do VBP das lavouras e da pecuária, no Brasil e do Paraná, referentes ao mês de junho.

No Brasil aumenta 4,3%, para R$ 536,0 bilhões, em 2017 em relação ao ano anterior e no Paraná reduz 2,2%, R$ 66,9 para R$ 65,3 bilhões, em igual período.

No Estado, o valor da produção das lavouras não experimenta aumento e foi estimado em R$ 40,7 bilhões nos dois anos. Culturas como a batata, cebola, feijão, trigo, maçã e uva terão redução do VBP. Na pecuária os dados evidenciam queda de 6,1%, de R$ 26,2 para R$ 24,6 bilhões. É o reflexo da forma de divulgação da operação carne fraca, que lançou dúvidas sobre a qualidade da carne brasileira, e da recessão sobre o consumo interno. O VBP de bovinos, frango e ovos reduz em 2017 em relação ao ano anterior. Apenas leite e suínos experimentam leves aumentos.

E continua a volatilidade dos preços

A frente fria que está entrando no Brasil e poderá afetar lavouras de café no Paraná provocou a elevação dos preços da saca do arábica recebido pelos produtores entre R$ 5 a R$ 7, do dia 14 ao dia 17 de julho, atingindo R$ 430,0 a saca.


Em sentido contrário, os preços internacionais da soja e do milho, que estavam em elevação neste mês de julho, experimentaram queda. Este movimento, combinado com a redução da taxa de câmbio no Brasil, provocaram significativa queda dos preços para R$ 71,5 e R$ 27,0 a saca, respectivamente, no porto de Paranaguá. É o efeito do mercado climático nas principais regiões produtoras do mundo sobre os preços destas commodities e esta situação continuará nos próximos dois meses. Apenas o trigo manteve o movimento de alta no mercado interno paranaense e os preços médios recebidos pelos produtores chegaram a R$ 36,0 a saca.