Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Sufoco no Chile

O Atlético viveu momentos emocionantes nesta noite de quarta-feira. Por pelo menos 3 vezes o time se classificou e foi eliminado das oitavas de final da Libertadores. Mas, como diz um velho ditado: “O jogo só acaba quando termina”. Tudo bem que o torcedor rubro-negro estava querendo que o jogo acabasse aos 42 minutos do segundo tempo, depois do terceiro gol, marcado pelo Carlos Alberto.

Impressionado com a força e da garra do elenco atleticano, que teve que se superar várias vezes até chegar aos gols, eu posso dizer que os jogadores e a comissão técnica voltará do Chile diferente do que foi. Este é um resultado que evidentemente muda o comportamento do novato, dá moral aos mais experientes e de uma certa forma dá tempo para que a diretoria volte para a prancheta de planejamento e possa resolver problemas de campo.

Eu já havia comentado antes e por isso o técnico Paulo Autuori não pode me chamar de oportunista, mas o time do Atlético tem 11, no máximo 12 jogadores que entram em campo e o time não cai de produção. Por isso eu acredito que para o clube ir mais longe na Libertadores, precisa de contratações que possam fazer o time não perder rendimento. Pablo, Carlos Alberto, Nikão, Jonathan e Thiago Heleno são jogadores que não são substituídos à altura.