Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

União Européia: Um Castelo de Baralho Pronto para Desmoronar - Parte 2

- União Européia: Um Castelo de Baralho Pronto para Desmoronar - Parte 2

(Clique aqui para ler a Parte 1)


No início foi praticamente um festa generalizada. Assolados pela tensão dos mais de 40 anos de Guerra Fria. Pedaços do Muro de Berlim espalhados pelo chão e o Povo comemorava clamando União. Um sussurro de União Européia finalmente poderia ser clamado em alto e bom som. A ideia de uma zona de livre comércio seduzia quem a escutava. Todos da Zona do Euro teriam acesso facilitado aos melhores produtos da Europa. Que sonho! Possibilitaria a criação de uma Moeda única que facilitaria bastante as demoradas negociações de câmbio entre os países, cada um com sua moeda oficial. Poderiam ter na mesa, livre de impostos, um vinho francês, um queijo holandês, azeitonas italianas, um jamon serrano pata negra espanhol, azeite grego, chocolate belga.. e na garagem um ótimo carro alemão. Daria uma ótima foto, não acha?

A Zona Européia de Livre Comércio na teoria era um sonho de consumo. Na prática foi um pesadelo para os países mais tradicionais e pouco industrializados.

Rapidamente essa sensação de estarem na Disney foi se transformando. "Tem algo errado com os comerciantes da vizinhança". Curiosamente, na lista dos maiores prejudicados estão os 4 países que já foram os Donos do Mundo em épocas diferentes: Grécia, Itália, Portugal e Espanha. Todos com população bem conservadora, tradicional, super patriotas e saudosos de velhos tempos. Tirando a indústria automobilística Italiana (que está segurando as pontas na Itália), ambos sobrevivem há algum tempo de turismo, azeite, vinho, queijos, presunto cru... Bom, o Couvert completo. Você já ouviu falar de algum carro ou máquina industrial feitos na Grécia, Portugal e Espanha? 

Sem impostos, leis protecionistas e burocracia. Ótimo para os mais industrializados. 

Por outro lado, imagine que você é um país com tecnologia de ponta e indústria fortíssima, como a Alemanha. Você produz praticamente tudo com ótima qualidade e tenta expandir seus negócios e vender para a maior quantidade de países, mas esbarra nos impostos, leis protecionistas e burocracia. E com a criação da União Européia, uma zona livre de comércio, bom... já está imaginando os grandes canecos de chopp brindando?

Os movimentos separatistas já começaram. E o cartelo de cartas começou a desmoronar.

Nesse ponto você já está praticamente perito na previsão do futuro da União Européia. E o movimento já está acontecendo. Inglaterra liderando a saída do Reino Unido da UE, Irlanda e Escócia não concordam pois sabem que se saírem ficarão largados à própria sorte (como sempre), Grécia quase expulsa após quebrar pois além de não produzir nada também não consome quase nada, Itália e Portugal insatisfeitos por serem considerados os "patinhos feios" e na Espanha estamos assistindo nos últimos dias a tentativa separatista da Catalunha (a mais rica região espanhola, que possui a cidade de Barcelona e tem seu próprio idioma). E como se não bastasse, todos sob tensão com o terrorismo dos extremistas islâmicos e o que fazer com tantos refugiados. 

Nunca entre num acordo comercial sendo a ponta mais fraca. No máximo, em situação próxima da igualitária, pois senão você será engolido.

De forma nenhuma devemos ser a favor de economias fechadas e protecionismo insano. Devemos deixar o livre comércio prevalecer com o mínimo de interferência do Estado. Os melhores se sobressaem e os piores se ajustam para tornarem-se competitivos. Entretanto, alguns países europeus foram negligentes. Se empolgaram como crianças (e adultos) na Disney. Nunca entre num acordo comercial sendo a ponta mais fraca. No máximo, em situação próxima da igualitária, pois senão você será engolido. Exemplos: México no NAFTA, Grécia na UE, Venezuela no Mercosul.

Cidades menos urbanas já estão desesperadas assistindo aos jovens indo embora e somente antigos moradores ficando.

Sabe o que está acontecendo com as "pontas fracas" da União Euroéia? Os jovens estão indo embora. Indo morar nos países mais fortes como Alemanha e França. Portugal e Itália estão praticamente dando residências em cidades menos urbanas pois não tem mais população suficiente para bancar a cidade (através de impostos). Você já deve ter lido matérias que estão vendendo casas a 1 euro em inúmeras cidades. É para alguém assumir a casa, pagar os impostos, e dar giro na economia local. Bom negócio, né? Mas na verdade estão é desesperados assistindo aos jovens indo embora e somente os antigos moradores ficando. Quem vai dar giro na economia local? Quem vai trabalhar no comércio, hotéis, mercados, restaurante, limpeza e segurança pública? Quem segura essa batata quente?

Sabe o que é mais curioso? A Guerra contra o terrorismo está se mostrando mais eficiente para unir os países europeus do que a zona de livre comércio propriamente dita. Historicamente separados por Guerras. Unidos por uma Guerra? Trágica ironia do destino. É... Não podemos culpar os articuladores da União Européia por tentarem juntar países tão diferentes num mesmo grupo. A intenção foi muito boa. Desejaram a União, amizade, parceria, ajuda mútua. Só esqueceram de estudar História.

 

Acesse www.investimento.com.vc para mais artigos, matérias e vídeos.