Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Todo mundo pode ser empreendedor (a), mas nem todo mundo deve empreender

- Empreender X Ser Empreendedor

De alguns poucos anos para cá, o empreendedorismo passou – finalmente – a ser percebido como um dos caminhos possíveis e desejáveis para se criar oportunidades e desenvolvimento. Nem poderia ser diferente. Quando olhamos para a história dos países mais desenvolvidos do mundo, sempre percebemos uma forte carga de empreendedorismo na sociedade, orientando escolhas e impulsionando a economia.

Entretanto, ainda é comum confundirmos, no Brasil, a possibilidade de sermos empreendedores(as) com o ato de empreender.

Qualquer pessoa pode ser empreendedora? É claro que sim! Basicamente, porque ser empreendedor(a) é uma escolha de vida. É uma opção que fazemos, de maneira consciente, por levar uma vida que seja orientada a atitudes e comportamentos empreendedores. O empreendedorismo, nesse contexto, está presente não apenas na vida profissional, mas em todos os aspectos e esferas da nossa existência. Ele se manifesta nas reuniões do condomínio, na organização do churrasco dos amigos, na convocação para o futebol do final de semana e, é claro, também se reflete na vida profissional, independente de qual seja a atividade desempenhada.

Já empreender, é uma brincadeira completamente diferente. Empreender trata da atividade de criar um empreendimento. Em outras palavras, é sobre criar uma empresa e desenvolver uma carreira como empresário(a). Incluindo, aí, todos os aspectos ligados ao processo de se criar um negócio, com seus riscos, perrengues, altos e baixos.

O grande problema de confundir as duas coisas é que temos gerado uma pressão indesejável e desnecessária em um número muito grande de potenciais empreendedores(as). Isso ocorre porque, ao se “vender” o empreendedorismo como algo necessariamente ligado ao ato de abrir uma empresa, corremos o risco de direcionar para a atividade de empreender pessoas que não tem perfil para isso. E esquecemos que é perfeitamente possível criar uma carreira corporativa ou como colaborador de uma pequena ou média empresa com extremo sucesso, praticando o que chamamos de intraempreendedorismo.

 É por isso que é fundamental entender que empreender não é para todo mundo! Criar uma nova empresa traz consigo desafios que não são toleráveis e aceitáveis por qualquer pessoa. Empreender demanda sangue frio, tolerância a risco e um nível de resiliência muito acima da média, o que, definitivamente, não torna a atividade recomendável a qualquer pessoa. E o melhor, é que não há nada de errado nisso.

Talvez, a magia do empreendedorismo esteja exatamente no fato de que ele é acessível a todos nós. É verdade que existem coisas que somente o ato de empreender podem nos proporcionar, e falarei disso em artigos futuros nesse espaço. Mas da mesma forma que uns gostam do vermelho e outros do amarelo, alguns de nós terão aptidão para exercitar seus comportamentos empreendedores na criação de um negócio, enquanto outros poderão fazê-lo como colaboradores de empresas já estabelecidas, mas que terão suas chances de desenvolver uma carreira de sucesso multiplicadas pela postura empreendedora. O fato é que, qualquer que seja a escolha, ao optarmos por uma trajetória empreendedora, certamente estaremos mais próximos de uma existência mais plena, realizada e com significado.      

Até a próxima!