Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Grupo é preso pela ROTAM com equipamentos de ponta para atacar agências bancárias

Policiais da Rotam do 20° Batalhão da Polícia Militar em patrulhamento pelo bairro Boqueirão, em Curitiba, na noite desta segunda-feira (12) avistaram um veículo Peugeot com quatro homens e resolveram realizar a abordagem. O grupo era de Fortaleza, no Ceará, mas não estava na capital paranaense para fazer turismo. Com eles foram encontrados diversas ferramentas para abrir cofres e um equipamento que chamou a atenção dos policiais.

(Foto: João Carlos Frigério/Plantão 190)(Foto: João Carlos Frigério/Plantão 190) 

O que parecia ser uma caixa de som bem feita na realidade era um bloqueador de sinal. De acordo com informações do Tenente Luiz Maywitz, que comanda a Rotam do 20° Batalhão, o grupo confessou que atacaria uma agência bancária localizada na Avenida Comendador Franco, no bairro Uberaba. 

Eles explicaram o funcionamento do bloqueador de sinal. O grupo colocava a caixa em uma mochila com um sistema bem montado de refrigeração para evitar o super aquecimento do bloqueador na frente da agência, durante a madrugada. Eles, então, saiam do local e aguardavam alguns minutos, para ver se a equipe de vigilância aparecia na agência, já que o bloqueador não permitia que o sistema de alarme e monitoramento de câmeras funcionasse, fazendo com que a imagem recebida pelo monitoramento fosse uma imagem congelada. Se nenhum vigilante aparecesse no local, eles adentravam na agência bancária e durante toda a madrugada tinham tempo suficiente para abrir o cofre principal e levar todo o dinheiro sem que fossem incomodados.

(Foto: João Carlos Frigério/Plantão 190)(Foto: João Carlos Frigério/Plantão 190)

Pelo menos dois ataques foram registrados em agências bancárias de Curitiba nos últimos dias utilizando esse sistema. No momento da abordagem, o grupo ainda ofereceu 30 mil reais aos policiais e disseram que conseguiram até 50 mil reais para não serem presos. Os policiais deram voz de prisão e encaminharam os quatro ao Centro Integrado de Atendimento ao Cidadão (Ciac Sul).