Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Policial militar baleado por bandidos não recebeu colete balístico da corporação

(Foto: Marcel Mercúrio/Colaboração) - Policial militar baleado por bandidos não recebeu colete balístico
(Foto: Marcel Mercúrio/Colaboração)

O Cabo Gulhinski da Polícia Militar do Paraná, baleado no último domingo (10), não utilizava colete balístico. Após ser atingido por três disparos, os marginais ainda passaram por cima do policial.

Dos três disparos, dois poderiam ter sido protegidos pelo colete balístico, mas de acordo com o que nossa equipe de reportagem apurou, ele não deixava de utilizar o colete balístico por opção, e sim não teria recebido o equipamento de proteção individual da Polícia Militar do Paraná.

Gulhinski faz parte da banda da Polícia Militar, utilizava a farda da corporação, porém, poucos integrantes da banda receberam o colete.

De acordo com informações repassadas por Fontana Neto, Presidente da Associação de Praças do Estado do Paraná (APRA), faltam cerca de 8000 coletes balísticos ao total. Os policiais entram de serviço e pegam o colete para trabalhar. Quando saem do serviço tem que entregar o equipamento de proteção individual e retornar para suas casas sem esta proteção que é muito importante para os policiais.

Nossa equipe entrou em contato com a assessoria de comunicação da Polícia Militar, porém não obteve retorno para saber por qual motivo alguns policiais da banda não recebem o colete.

O policial segue internado no Hospital Cajuru em estado grave, porém estável.

Relembre o caso

Um policial militar foi baleado no fim da tarde deste domingo (10), próximo à Rodoferroviária de Curitiba, no bairro Jardim Botânico. A vítima estava fardada, quando foi atingida por três disparos e atropelada.

Os homens estavam em um veículo modelo Renault Duster, de cor preta, quando atiraram contra o cabo da Polícia Militar (PM), que integra a banda da corporação. Os criminosos ainda teriam passado com o carro em cima do corpo da vítima. 

Os homens fugiram em direção ao bairro Cajuru e foram perseguidos por uma equipe do BPTran. Após troca de tiros, um deles foi baleado e o carro foi abandonado na rua da Trindade, onde os outros fugiram a pé para dentro de um matagal. Uma aeronave prestou apoio aos policiais para localizar os criminosos.

De acordo com informações da PM, o veículo havia sido roubado minutos antes do crime em São José dos Pinhais. O policial baleado foi encaminhado ao Hospital Cajuru.

Nota oficial

Em nota oficial, a Polícia Militar do Paraná informou que o Cabo Gulhinski não estava usando colete, porém ele tinha colete cautelado em seu nome.

Grupo do Massa News no WhatsApp

Receba as principais notícias do dia direto no seu celular.

  Entrar no grupo