Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Se Temer merece cair, o PT merece acabar

- Ou a delação vale para todo mundo, ou não vale para ninguém. Ou será que as delações contra o PT, Lula e Dilma são forjadas e as contra Temer e Aécio são perfeitas?

A delação de Joesley Batista, do grupo JBS, pode ter ferido de morte o governo de Michel Temer. A esquerda desorientada pela onda de abalos e derrotas – contando os dias até a condenação inexorável de Lula, com provas abundantes, e a cadeia final para os grandões da estrela vermelha – celebra uma delação, que até bem ontem era vista como um indício de algo. No máximo. Isso é estupidez pura. O que não surpreende, vindo de quem vem. A denúncia é séria e grave. É inadmissível que um presidente participe de um conluio para que um ex-parceiro de negociatas tenha seu silêncio financiado. Se isso for provado, deve ser apeado do cargo. Mas o que se pode falar de um presidente acusado não só de trabalhar pelo silêncio de ex-aliados como também de ocultar benefícios obtidos ilicitamente e de vender Medidas Provisórias? Sim, são duas histórias distintas, de dois presidentes distintos. Um, fruto de uma série de acasos e a reboque do afastamento (tardio) da mais inepta governanta que este país já viu. Outro, fruto de anos e anos de doutrinação e maquinações, mentiras e manipulações.

Michel Temer, ao contrário do que pretendem os petistas, não é a antítese de Dilma. Nem é “oposição” ao pluri-réu Lula. Temer fazia parte do mesmíssimo núcleo. Quem elegeu Temer, é bom que se diga, não foi um Congresso golpista. Foram os milhões de eleitores que se iludiram com Dilma e o carregaram juntos. O PT elegeu Temer vice. A fraqueza de Dilma o fez presidente.

É bem possível que Michel Temer não esteja mais no Palácio do Planalto em algumas semanas. Talvez em alguns dias – se num gesto de humildade reconhecer que de fato errou, coisa que nem Lula nem Dilma tiveram a coragem de fazer. Mas isso não acaba com outra questão importantíssima. A delação de Joesley Batista não se limita a Michel Temer. Muito pelo contrário. Se tudo o que ele diz for verdade e assim for provado, Guido Mantega era o responsável pela conta-corrente da propina que o PT mantinha na empresa. Ora, um partido assim não pode continuar sendo tolerado, certo? Se Temer deve cair, o PT merece acabar. Simples assim. A idéia louca de alguns esquerdistas cegos, ou que nos acham a todos cegos e idiotas, de que há carmelitas entre eles não resiste a cinco minutos de conferência de informações. Isso, naturalmente, se tomarmos as delações premiadas como algo factual e a que se deve dar crédito. Nessa condição, Lula e Dilma são fortíssimos candidatos a presidiários, e não vejo como isso não possa ocorrer, Temer será apeado do poder e o PT terá seu registro cassado. Se, como defendiam até hoje às 17h a maioria dos petistas & assemelhados, as delações premiadas são apenas fruto da pressão da Lava-Jato e do Ministério Público sobre os presos preventivamente, então Temer vai continuar onde está até o final de 2018, e o PT estará disputando eleições como qualquer partido legítimo naquele mesmo ano. Mas ainda assim, com as provas já colhidas, não terá Lula na cédula. Talvez numa cela...

  • Joesley Batista poderia contar também, nesse espírito de grande desprendimento pessoal e de grande apego à verdade, como é que dinheiro da sua empresa foi ajudar candidatos comunistas à Câmara Federal em 2014, e porque isso foi feito.
  • Só para lembrar: se restar provado que qualquer politico, de qualquer partido, está metido em maracutaias e esquemas criminosos, deve perder o cargo, os privilégios e a liberdade. Não importando a grife, a sigla, o Estado ou a condição. Se a Lei é para todos, é para todos.
  • Quem tem criminoso de estimação é porque tem estima ao crime. Não é o meu caso. Para mim não existe isso de bandido bom. Ou é bandido, ou é bom. As duas coisas não andam juntas.
  • Há informações de que a delação de Joesley atinja mais de 1800 políticos. Isso não era uma indústria ou uma organização criminosa. Isso era um sistema corrupto comandado por quem detinha o poder central e que beneficiou centenas de ladravazes, ladrões, ladrõezinhos e micro-corruptos. Ou coisa pior.