Você poderá alterar sua localização a qualquer momento clicando aqui.
Ocultar   |   Alterar cidade
Você está vendo conteúdo de Curitiba e região.
Ocultar   |   Alterar cidade

Que barraco os "Barraqueiros do Congresso" planejam armar hoje na PF?

A juíza Carolina Lebbos, da 12ª Vara de Execuções Penais de Curitiba, autorizou a “vistoria”, por um grupo senadores petistas e aliados, da sala em que se encontra o ex-presidente Lula na Superintendência da Polícia Federal.

A “vistoria” é resultado de um autêntico golpe parlamentar (como o PT classifica a deposição de Dilma Rousseff, executada rigorosamente de acordo com a lei): a proposta foi apresentada quando havia somente petistas e aliados na Comissão de Direitos Humanos do Senado. A apresentação da proposta e sua “votação” durou menos de três minutos.

Integram essa comissão Vanessa Grazziotin (PCdoB-RJ), Gleisi Hoffmann (PT-PR), Ângela Portela (PDT-RR), Fatima Bezerra (PT-RN), Telmário Mota (PDT-RR), Paulo Paim (PT-RS), Lindbergh Farias (PT-RJ), Jorge Viana (PT-AC) e Paulo Rocha (PT-PA).

Como os senadores pediram para verificar as condições da cela do presidiário petista, deduz-se, com base em determinação do juiz Sergio Moro, que eles não se encontrarão com ele. Lula tem direito a visita diária de seus advogados – exceto finais de semana e feriados – e encontro semanal com seus parentes. Nove governadores e três senadores tentaram se encontrar com ele no presídio na semana passada, mas a juíza disse não. “Sem privilégios”, determinou Moro.

Lula está confinado numa cela de 15 metros quadrados, sem grades e com banheiro – uma autêntica suíte pós-presidencial, com direito a televisão e aparelhos de ginástica na sala contígua.

A juíza estranhou o pedido do senadores, já que nem os advogados do presidiário mais notório do país reclamaram das condições de seu confinamento, mesmo assim o acolheu. Afinal, suas excelências, que jamais se preocuparam com o estado dos centenas de milhares de presos país afora confinados em espaços mínimos e insalubres, têm todo o direito de zelar pelo conforto e bem-estar do seu líder político e espiritual, o “pai de todos os pobres”.

Mas eles se submeterão às regras da PF, que prevê revista e entrega de celulares e outros objetos que possam registrar a visita? Vão se curvar docilmente à impossibilidade de se encontrarem com Lula?

Os antecedentes dessa turma – “Os Barraqueiros do Congresso”, protagonistas do maior show de baixarias durante o julgamento de Dilma - levam a crer que não!

Eles vão é aprontar o maior barraco da sede da PF para reforçar a versão mentirosa que querem passar à história de que Lula é um “prisioneiro político” impedido até de receber seus zelosos aliados políticos. Que está numa “solitária”, despojado dos luxos que fizeram parte de sua vida nos últimos 40 anos, sem sua “cachacinha”, sem visita íntima...

Anotem aí: eles vão bagunçar o coreto!

Mas, convenhamos, esta visita será didática: vários dos integrantes desta turma, a começar de Gleisi e Lindbergh, terão a oportunidade de conhecer suas futuras moradias...