“Animais Fantásticos: Os Segredos de Dumbledore” chega aos cinemas nesta quinta-feira

É ano de eleição também no mundo mágico criado por J.K Rowling. A disputa é pelo maior cargo na Confederação Internacional dos Bruxos. Entre criaturas exóticas, varinhas de condão cheias de superpoderes e um processo democrático bagunçado — que não fica tão longe da vida real –, vemos cenas que nos remetem ao Rio de Janeiro: são imagens do Parque Lage.

O ano fictício é 1932. A disputa, no princípio, é liderada por uma bruxa poderosa, que ao aparecer na tela recebeu um grande “uau” do público que assiste ao filme em um evento de pré-lançamento do filme em Los Angeles. Maria Fernanda Cândido é Vicência Santos e assim leva o nosso país para dentro de umas das franquias mais queridas da Sétima Arte, apesar de não estar explícito no filme que ela é brasileira.  

Fãs ao redor dos Estados Unidos foram convidados a assistir ao filme simultaneamente em diversas salas de cinema de diferentes cidades e, antes de apagarem as luzes, parte do elenco apareceu no telão ao vivo, direto de Nova York, para responder perguntas enviadas de todas as partes do país. Maria Fernanda Cândido não estava presente, pois participava da pré-estreia no Brasil.

“O melhor de ver essas histórias coletivamente é que você compartilha a experiência. Acho que essa é a beleza do cinema, e é por isso que acredito que isso nunca vai embora. Porque esses momentos são amplificados quando os vivenciamos juntos”, disse o cineasta David Yates, que também dirigiu as duas partes anteriores de Animais Fantásticos e os últimos quatro longas da série de filmes de Harry Potter.

E essa é a mais pura verdade. A magia do cinema junto com o entusiasmo e energia coletiva dos fãs do mundo bruxo — todos com a varinha mágica na mão ouvindo os atores — transformaram a exibição em experiência inesquecível.

O diretor adiantou que os fãs podem esperar deste novo filme, apesar de parecer ter um enredo político, uma história de amor. “Eu diria que é uma história de amor, ou melhor, são duas de dois casais diferentes. Ambos estão muito apaixonados. É por isso que como cineasta é incrível poder mergulhar nesse universo imersivo que a J.K. criou, porque temos história de terror, comédia, emoção e a gente sempre está sendo testado, é esse o grande prazer”, afirmou o diretor.

Os planos da produção para este terceiro filme da série era filmar no Brasil, mas apesar de mostrar imagens do Parque Lage e outras referências brasileiras, os atores permaneceram em Londres. Na pré-estreia inglesa, a escritora J.K. Rowling disse que “a pandemia foi um fator determinante da mudança”.

Enredo mágico

Na trama, a aparição do mago das trevas Gerardo Grindelwald — cheio de armações e até fake news — sacode o processo eleitoral a fim de tomar o controle do mundo mágico. O personagem, é brilhantemente interpretado pelo ator dinamarquês Mads Mikkelsen, que cheio de personalidade e uma releitura própria, substituiu Johnny Depp. Grindelwald traz, além de planos de segregação, uma revelação sobre a relação profunda e complicada dele com Alvo Dumbledore. 

Dumbledore (Jude Law) expõe suas dores e vulnerabilidades e vai em busca do magizoologista Newt Scamander (Eddie Redmayne) para derrotar o vilão e salvar o mundo.

“Eu amo o Newt e o amo pela paixão que ele tem. Sempre penso na paixão, seja ela pelo que for, como uma qualidade atrativa, apesar dele ter suas excentricidades e ser meio maluco. Nesse filme adianto que muitas das criaturas fantásticas estão de volta, mas temos novas para vocês conhecerem”, contou Redmayne. Scamander lidera nesse episódio uma equipe de bruxos, bruxas, além de um dos mais amados trouxas do universo criado por J.K. Rowling, Jacob Kowalski (Dan Fogler). O roteiro é da própria escritora em parceria com Steve Kloves, que roteirizou os filmes de Harry Potter e é o produtor dos spin-offs.

Universo intenso

Este é o terceiro dos cinco filmes programados para Animais Fantásticos. Assim como nos dois primeiros episódios, muitos personagens e tramas paralelas nos são apresentadas, e em muitos casos, há o pouco desenrolar de cada história e a dispersão de um protagonista. Isso acontece, inclusive, com a personagem Vicência Santos, de Maria Fernanda Cândido, da qual pouco sabemos ao certo. Não vá ao cinema na expectativa de vê-la muito tempo na tela para não sair frustrado.

Há a esperança de que haja um aprofundamento de várias subtramas no quarto filme, inclusive para sabermos mais sobre Vicência e outros personagens que já passaram pela saga. Mas, tudo leva a crer que só no último capítulo algum desfecho será dado. 

Apesar de ser uma imersão no mundo mágico, sem ter nenhuma obrigatoriedade de estar seguindo precisão histórica, a analogia novamente cai perfeitamente com o período que se passa a história: desta vez, o foco é a tensão política e o crescimento dos regimes totalitários dos anos de 1930. Grindelwald é o grande líder populista em Berlim que atrai seguidores com suas ideias extremistas. A trama se desenrola décadas antes das aventuras do bruxo de maior sucesso e campeão de bilheteria, Harry Potter.

O visual deslumbrante do universo mágico garante as quase duas horas e meia de um passeio pelo mundo da fantasia, com todo o charme das criaturas fantásticas que dão o toque mais infantil e lúdico à trama.

Universo paralelo

Algumas desventuras que precedem o lançamento podem prejudicar o sucesso deste capítulo e até o futuro da franquia. A escritora J.K. Rowling é alvo de várias polêmicas, desde 2020, por causa de uma série de publicações nas redes sociais consideradas transfóbicas. A autora vem recebendo críticas frequentes de espectadores e até de estrelas da saga. 

Já o ator Ezra Miller, que interpreta o órfão Credence, tem estampado manchetes polêmicas frequentes. Recentemente foi preso em um bar de Hilo, no Havaí, por conduta imprópria. Ele teria gritado palavras obscenas para uma mulher e atacado um homem que jogava dardos. O astro interpretou The Flash em Batman v Super-Homem: O Despertar da Justiça (2016) e protagoniza o próximo filme do herói dos quadrinhos da DC, previsto para ser lançado em 2023. Ele foi solto após pagar fiança e, anteriormente, já havia se metido em confusão em um bar na Islândia. 

Além de tudo isso, tem todo o drama que envolveu a saída de Johnny Depp. O ator interpretou Grindelwald no primeiro e segundo filmes e foi convidado a não voltar para Os Segredos de Dumbledore por causa das denúncias da ex-esposa. Amber Heard o acusou de ter sido agredida enquanto eles eram casados e o ator está respondendo a vários processos judiciais. Porém, um abaixo-assinado reúne mais de 270 mil assinatura de fãs pelo mundo pedindo a volta de Depp à franquia, e os fãs ameaçam boicotar as obras caso isso não aconteça.

Desde o início, o spin-off não se mostrou tão popular como a saga de Harry Potter, teve reações mornas dos fãs sempre tão encantados pelos feitiços do mundo bruxo. Mas, nem por isso dá pra desprezar o sucesso de render em bilheteria ao redor do mundo, com os dois primeiros filmes, mais de o equivalente a R$ 7 bilhões. Porém, com tanto infortúnio da vida real, será preciso muita magia para não deixar que os fatos mundanos quebrem o encantamento dos fãs em época de cancelamentos.

Informações de SBT News