Museu Horniman de Londres devolverá Bronzes de Benin à Nigéria

O Museu Horniman de Londres informou no domingo que devolverá 72 artefatos, incluindo 12 placas de latão conhecidas como Bronzes de Benin, saqueadas do reino de Benin por soldados britânicos em 1897, ao governo nigeriano.

Criados a partir de latão e bronze no antes poderoso reino de Benin, no que hoje é o sudoeste da Nigéria, pelo menos desde o Século 16, os Bronzes de Benin estão entre os artefatos culturalmente mais significativos da África.

Eles foram apreendidos, juntamente com milhares de outros itens, em uma incursão militar britânica, e foram parar em museus na Europa e nos Estados Unidos.

Os países africanos lutam há anos para recuperar obras saqueadas por exploradores e colonizadores, enquanto as instituições ocidentais se agarram aos legados culturais do colonialismo.

Autoridades alemãs devolveram no mês passado a primeira de mais de 1.100 esculturas de valor inestimável para a Nigéria, seguindo exemplos dados pelo Jesus College da Universidade de Cambridge e pelo museu Quai Branly em Paris no ano passado.

O Horniman disse que a Comissão Nacional de Museus e Monumentos da Nigéria (NCMM) solicitou a devolução dos artefatos no início do ano.

“A evidência é muito clara de que esses objetos foram adquiridos à força, e a consulta externa apoiou nossa visão de que é moral e apropriado devolver a propriedade à Nigéria”, disse Eve Salomon, presidente dos curadores do museu Horniman.